Patrocínio

Bia Figueiredo tem nome envolvido em esquema de corrupção

O Ipiranga, que apoiou a piloto por mais de uma década, anunciou a suspensão do patrocínio

26 jun, 2020

Pioneira no automobilismo brasileiro e única mulher no grid da Stock Car, Bia Figueiredo teve o seu nome envolvido em um esquema de corrupção. O marido da piloto, Fábio Souza, integrante da organização social de saúde Instituto dos Lagos Rio, e o seu pai, Juracy Batista, sogro de Bia, foram acusados de desviar mais de R$ 9 milhões dos cofres públicos do Rio de Janeiro.

Segundo o Ministério Público do Rio, o marido e o sogro da piloto teriam usado a empresa de Bia, a B3Três, para justificar um patrocínio de fachada de R$ 1.5 milhão, que seria dinheiro desviado de um dinheiro destinado à gestão de hospitais públicos no Rio de Janeiro.

Diante da repercussão do caso, a Ipiranga, patrocinadora da piloto há cerca de uma década, anunciou que suspendeu o contrato de patrocínio à Bia Figueiredo na Stock Car enquanto a investigação estiver em andamento.

“A Ipiranga informa que foi surpreendida com notícias envolvendo o nome da piloto da Stock Car Bia Figueiredo. A empresa esclarece que as práticas citadas nas matérias veiculadas, relacionadas aos familiares da piloto, não representam os valores da sua marca e repudia enfaticamente tais atitudes. Até que os fatos sejam esclarecidos, a Ipiranga informa que decidiu suspender o contrato de patrocínio”, publicou a empresa nas redes sociais.

Além da Ipiranga, Bia Figueiredo conta com patrocínio da Localiza e Frooty.