Futebol

As diferentes braçadeiras da Huesca: celebração à cultura e identidade de cada adversário

Clube prestou homenagem à cidade ou região de cada um de seus adversários ao longo da vitoriosa campanha 2019/2020

As diferentes braçadeiras da Huesca: celebração à cultura e identidade de cada adversário

21 de julho de 2020

3 minutos de Leitura

As braçadeiras de capitão usadas no futebol espanhol são muito coloridas e variadas. Não há uma braçadeira homogênea, padronizada, com a marca da LaLiga que todos os capitães devem usar, por exemplo. Em vez disso, cada clube pode customizá-la como achar melhor, com algo que seja especial, talvez com um design baseado nas cores do clube ou na bandeira regional.

A SD Huesca, no entanto, fez algo muito singular nesta vitoriosa temporada. Afinal, o clube decidiu criar uma braçadeira diferente para o capitão Jorge Pulido (foto) em cada uma das 21 viagens que fez durante a disputa da LaLiga SmartBank, a segunda divisão da Espanha.

Em colaboração com uma agência de design gráfico sediada em Huesca, a equipe criou braçadeiras que refletem a cultura e a identidade de cada um de seus adversários – que também disputaram a temporada 2019/2020.

Uma das braçadeiras utilizadas por Pulido, por exemplo, quando a SD Huesca visitou o Cádiz CF (outro clube promovido à elite nacional), apresentava um violão espanhol em referência à cultura Chirigota daquela província – como na foto acima.

Já para a partida fora de casa, em Girona, a braçadeira fez referência à Costa Brava. Eles até fizeram um para o Real Zaragoza, seus rivais locais da região de Aragão, com a bandeira da comunidade autônoma em destaque – e os efeitos do vento, adicionados como um aceno ao fato de que Zaragoza é conhecida como “a cidade dos ventos”.

Mesmo nas raras ocasiões em que Pulido não conseguiu jogar, essa iniciativa continuou. Seu substituto (no uso da braçadeira de capitão), Mikel Rico, a utilizou em homenagem às ferrovias de Ponferrada para a partida diante da SD Ponferradina. Além de celebrar as fontes de Fuenlabrada quando liderou a equipe no embate.

“Podemos ser rivais em campo, mas também é necessário estabelecer vínculos entre as cidades”, explicou o diretor de comunicações da SD Huesca, Jara Echeverría, ao jornal espanhol El País. “O futebol é a melhor maneira de promover a beleza de nossas regiões”.

Com a Espanha composta por 17 comunidades autônomas e duas cidades autônomas, é um país diverso, com muitas culturas e tradições diferentes. E esta iniciativa da SD Huesca tem sido uma maneira única e divertida de comemorar isso. Os diretores dos outros 21 clubes da LaLiga SmartBank, por sua vez, também adoraram esse projeto único – com a SD Huesca fazendo uma segunda cópia das braçadeiras para presentear os rivais durante cada viagem.

Em casa, eles usavam uma braçadeira focada em suas próprias tradições e culturas, mas para a primeira partida no Estádio El Alcoraz, após a pausa imposta na temporada por conta da pandemia causada pelo coronavírus, havia outro design especial. Como forma de expressar gratidão a todos os funcionários-chave que ajudaram a retornar à nova normalidade possível, SD Huesca garantiu que eles estivessem presentes na braçadeira.

Compartilhe