Futebol

Por valor menor, Milan oficializa renovação com Emirates até 2023

Clube tentará compensar o investimento da empresa explorando outras propriedades

27 jul, 2020

O Milan anunciou a renovação do seu patrocínio máster com a companhia aérea Emirates, iniciado em 2010/2011, por um valor anual menor do que o contrato que terminaria no final da atual temporada. Com a ampliação, o contrato será válido até o final de 2022/2023.

Dos atuais € 14 milhões anuais mais bônus, o clube italiano passará a receber € 10 milhões mais bônus. A queda do valor se deve a ausência do Milan na Champions League desde 2014, que diminui, e muito, a visibilidade global do time.

“O Milan sempre foi um excelente parceiro da Emirates. Nossas marcas são semelhantes e compartilham a mesma visão e o mesmo impulso de oferecer experiências de qualidade para celebrar uma paixão compartilhada globalmente. Estamos muito satisfeitos em renovar nossa parceria, que demonstra nosso compromisso de longo prazo com o clube e com os fãs de esportes na Itália e no mundo”, disse Flavio Ghiringhelli, gerente nacional da Emirates na Itália.

“Estamos entusiasmados por anunciar a renovação de três anos de nossa parceria com a Emirates que realmente resistiu ao teste do tempo. Essa renovação é uma prova do valor que os dois lados trouxeram para essa colaboração plurianual. A parceria dessas duas marcas, com forte visibilidade internacional, é extraordinária. Estamos felizes em ajudá-los a mostrar a excelência e a qualidade da Emirates em todo o mundo. Após uma pandemia global, nosso novo contrato com a Emirates permite que o clube redefina sua estratégia de parceria, com maiores oportunidades de patrocínio e, portanto, maior potencial para outros parceiros de negócios”, completou Casper Stylsvig, diretor de receita do Milan.

Para compensar a diminuição do investimento da empresa, o Milan focará em desenvolver outras propriedades. O objetivo é comercializar patrocínios separados para as mangas da camisa de jogo, kit de treinamento e espaço máster da camisa do time feminino, propriedades que estavam incluídas no acordo que acaba de terminar e que agora não fazem mais parte da parceria com a Emirates.