Patrocínio

UCLA processa Under Armour por quebra de patrocínio

O acordo firmado por 15 anos em 2016 foi o maior da história do esporte universitário da época

28 ago, 2020

A UCLA,  universidade referência da Califórnia, está processando a Under Armour por quebra de contrato de patrocínio. O processo alega que a empresa americana usou a pandemia do coronavírus como motivo para rescindir o acordo de US$ 280 milhões firmado em 2016. A universidade está pedindo mais de US$ 200 milhões em indenização.

O contrato de patrocínio firmado por 15 anos foi o maior da história do esporte universitário da época. Como contrapartida, os alunos/atletas e funcionários da UCLA vestiam e usavam exclusivamente os produtos fornecidos pela Under Armour.

Em junho, a empresa alegou que havia tomado a difícil decisão de descontinuar a parceria com a UCLA pois estava pagando por benefícios de marketing que não recebia há muito tempo. Já a universidade alega que o negócio ficou “caro demais” para a empresa e cita outras questões da Under Armour, como problemas financeiros, além de uma investigação federal sobre suas práticas contábeis.

“A Under Armour é perfeitamente capaz de fornecer os produtos que prometeu fornecer e fazer os pagamentos que prometeu pagar. A empresa, na verdade, forneceu intermitentemente alguns dos produtos prometidos durante a pandemia COVID-19, embora tenha intencionalmente retido outros e atrasado as entregas em um esforço para causar mais danos à UCLA”, destaca um trecho do processo.

Em sua defesa, a Under Armour alega que seguiu fornecendo os produtos prometidos mesmo com a paralisação de todas as atividades esportivas na pandemia e que está à disposição para fazer uma transição de negócio benéfica para a universidade.