Indústria

Contra decisão do governo, Premier League pede reabertura dos estádios

Liga inglesa ficou descontente com a decisão do governo de Boris Johnson de diminuir a presença dos torcedores

14 set, 2020

A bola rola já rolou para a temporada 2020/2021 da Premier League e, enquanto isso, o debate sobre a abertura ou não dos portões segue. De acordo com números divulgados pelo Financial Times, executivos dos times estimam perdas de £ 540 milhões com matchday. Já na última sexta-feira (11), a liga inglesa mostrou seu descontentamento com a decisão do governo de Boris Johnson de diminuir a presença dos torcedores e, pra piorar, adiar o plano de abertura dos estádios.

De acordo com o político, os lugares no estádio são reduzidos a um máximo de mil pessoas. Para os clubes, o número “não dará nenhuma oportunidade de testar e avaliar as medidas destinadas a maximizar a segurança dos torcedores”. Além disso, a Premier League afirma que mil torcedores não cobrirão os custos de abertura de um estádio. Ainda de acordo com a liga inglesa, para cada mês jogado sem torcedores, mais de cem milhões de libras são perdidas, com o consequente impacto nas economias locais e do país.

Pelo lado das equipes, todos estão sendo forçados a aderir a protocolos governamentais rígidos em uma futura reabertura, como manter o distanciamento social entre os torcedores e evitar a dependência do transporte público. Os clubes também já preparam testes em larga escala para garantir a segurança dos torcedores e, por isso, solicitam ao governo que não atrase a abertura dos estádios, prevista para 1º de outubro.