Indústria

América busca investidor e mira excelência na gestão

Com a Ernst & Young, o Coelho modelou o projeto clube-empresa e abriu processo de atração de parceiros externos

16 nov, 2020
Eduardo Esteves
Diretor Executivo do MKTEsportivo
Ver mais artigos deste autor

Com um DNA de formação de jovens atletas, o América-MG está em processo de expansão fruto de um moderno projeto clube-empresa que vem sendo arquitetado nos bastidores.

Desde 2019, o Coelho trabalha em parceria com a Ernst & Young (EY), considerada uma das maiores empresas de consultoria do mundo, em um projeto de revisão de sua estrutura de governança que visa fortalecer a gestão do clube para uma estratégia de 20 anos. Com a EY, o América modelou o projeto clube-empresa e abriu processo de atração de parceiros externos, com o objetivo de ampliar os investimentos no futebol e potencializar, por exemplo, a revelação de atletas como sua marca registrada.

“Iniciamos nosso projeto com a revisão da estrutura de governança do Clube, para fortalecer nossa gestão e tornar a marca América ainda mais atrativa. Nosso projeto é de longo prazo e pautado por uma gestão extremamente profissional”, explica Dower Araújo, Superintendente Geral do América.

Além do foco na gestão, o projeto clube-empresa do América tem outra premissa importante: o perfil qualificado do investidor. Por isso, a EY exerce um importante papel de captação de parceiros.

“Buscamos um investidor qualificado para aportar capital; um parceiro que entenda o alto potencial e importância do nosso projeto, tanto para a formação de atletas para o futebol mundial, quanto para mostrar que o Brasil pode sim ter planejamentos robustos e sérios no futebol. Queremos um parceiro com os mesmos valores e objetivos estratégicos do América, sem imediatismo”, acrescenta Dower.

No escopo, também está a ampliação da performance esportiva do Clube. O investimento no futebol trará estabilidade para o Coelho subir e se manter na divisão de elite nacional.

“Não queremos apenas um investimento de capital. Acreditamos em um parceiro para criar um legado no Clube e no futebol brasileiro, pautado em infraestrutura de excelência, inovação de processos e tecnologia. Estamos prontos para tornar o América uma referência na indústria do futebol, formando cada vez mais grandes jogadores e atingindo novos patamares no esporte”, finalizou Dower.

O clube ressalta que todas as suas características serão mantidas dentro do novo projeto, como nome, escudo, cores e localização. O patrimônio do América, como a Arena Independência e o CT Lanna Drumond, também permanecerão intactos.