Redes Sociais

O que é o Triller? Conheça a nova rede social de vídeos parceira de Neymar

Saiba tudo sobre o aplicativo que nasceu em 2016 como uma plataforma de clipes musicais e tornou-se o principal concorrente do TikTok

19 nov, 2020

Neymar provocou a curiosidade dos seguidores ao anunciar a saída do TikTok e fechar uma parceria com uma nova plataforma: a Triller. Ainda pouco conhecido no Brasil, o aplicativo nasceu em 2016 como uma plataforma de clipes musicais, nos Estados Unidos, e depois de algumas modificações, se popularizou ao se tornar uma alternativa quando o presidente Donald Trump anunciou a proibição do antecessor chinês.

Há quem diga que se trate de um sucessor do Vine, que encerrou suas atividades em 2017. Nomes como Kevin Heart, Selena Gomez, Rita Ora e Justin Bieber já possuem perfis na rede social. O aplicativo também aposta em outras frentes. São do Triller os direitos de transmissão da luta entre Mike Tyson e Roy Jones, agendada para 28 de novembro. O embate será transmitido dentro de um evento de três horas de duração e exibido para todo o mundo.

Diante do crescimento da Triller, a empresa responsável pelo TikTok, a ByteDance, apresentou um processo que acusa a rival de violar patentes da empresa. Esta é a resposta da empresa às acusações feitas pela Triller em julho de que a ByteDance tem usado sem permissão a sua tecnologia desde 2017.

Em comunicado ao Business Insider, o CEO da Triller, Mike Lu, afirma que a batalha legal entre as duas empresas parece “a história de David contra Golias”, adiantando que espera que venha a ter o mesmo final e sair vitorioso.

“Este processo não é nada mais do que uma tentativa transparente de um conglomerado chinês com dezenas de milhares de colaboradores tentar manipular o sistema legal dos EUA ao não responder à queixa da Triller ou às suas violações. Em vez disso, estão a tentar contornar a lei para continuarem a roubar tecnologia e propriedade intelectual”, afirma Lu.

Em agosto, por conta da pandemia do coronavírus, o Triller anunciou que já havia batido a marca de 250 milhões de downloads. O serviço acabou se tornando ainda mais popular após o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, ameaçar bloquear o TikTok em território americano. Por conta disso, Charli D’Amelio, tiktoker de sucesso com 87.5 milhões de seguidores, anunciou uma parceria não-exclusiva com a Triller. O próprio Trump tem uma página por lá, além das cantoras Alicia Keys e Cardi B. Entre as marcas, destaque para a Pepsi.

Disponível para IOS e Android, o app trabalha com seu portfólio de embaixadores famosos para bater o TikTok, que liderou a lista de aplicativos não-jogos mais baixados de janeiro a setembro de 2020, segundo a consultoria SensorTower.