Indústria

Sem Rio Motorsports, Globo volta a negociar para ter Fórmula 1 em 2021

Grupo negocia com a FOM/Liberty Media para seguir com a categoria em sua grade

12 nov, 2020

Durou poucos meses a parceria da Rio Motorsports com a Fórmula 1. A empresa confirmou que não é mais dona dos direitos de transmissão da categoria no Brasil. O anúncio, segundo informações do UOL, aconteceu após a Globo admitir que negocia com a Liberty Media, dona da F1, a renovação contratual para 2021.

“A Rio Motorsports comunica que decidiu por declinar da opção dos direitos de transmissão da Fórmula 1 no Brasil. A decisão foi tomada devido às incertezas com o calendário para a temporada 2021, provocadas pela segunda onda de contágio por COVID-19 na Europa. Diante do cenário, somado ao fato da possibilidade dessa nova onda se expandir para outros continentes, a Rio Motorsports reavaliou este investimento e abriu espaço para que a Fórmula 1 possa negociar diretamente com as empresas de televisão no Brasil”, destacou a Rio Motorsports em comunicado.

Após o grupo de mídia carioca afirmar que não renovaria para a próxima temporada, especulou-se uma negociação com a TV Cultura. No entanto, a emissora paulista encerrou as negociações após a saída da Rio Motorsports. Desta maneira, até aqui, a Globo aparece como única interessada.

“A Globo retomou as conversas com a FOM/Liberty Media sobre os direitos da Fórmula 1, sempre considerando a nova realidade mundial dos direitos de esportivos”, disse a Globo em nota enviada ao UOL Esporte.

Ainda de acordo com a reportagem, que acompanha o caso desde o início, a Liberty não gostou de saber que a sua representante brasileira negociava com a TV Cultura, ciente do alcance menor do canal dentro do mercado brasileiro. Isso impactaria diretamente nas patrocinadores e anunciantes da categoria, que perderiam muita visibilidade no Brasil. Hoje, somos o país que mais assiste a categoria, com 23,5% do alcance global da categoria.

Vale destacar que a Rio Motorsports, que tem à frente o empresário JR Pereira, soma fracassos no Brasil. No começo deste ano, a empresa chegou a fechar com a Dorna Sports, detentora dos direitos comerciais da Moto GP. O negócio era similar ao que havia sido acordado com a Liberty Media. A Rio Motorsports negociaria os direitos de mídia da categoria no Brasil. A empresa chegou a fechar um acordo com a ESPN, mas nunca repassou à Dorna os valores recebidos, acarretando uma quebra de contrato unilateral.

No ano passado, a Globo ofereceu US$ 20 milhões para a renovação, mas a Liberty pediu US$ 22 milhões anuais. Com o cenário, a empresa deve aceitar valores inferiores para seguir no meio grupo de mídia do país.