Podcasts

‘As empresas de apostas no futebol’, com Hans Schleier (Casa de Apostas)

23 nov, 2020

A legalização das apostas esportivas no Brasil sempre foi um tema muito debatido no Brasil, já que não existe uma legislação específica para esse tipo de modalidade. Em dezembro de 2018, o então presidente, Michel Temer, abriu o caminho para a regulamentação das apostas esportivas ao sancionar a lei 13.756/18, autorizando o Ministério da Fazenda a elaborar regras para o licenciamento da exploração de apostas esportivas de cota fixa no país.

Até aqui, abriu-se espaço para a opinião de especialistas, como advogados e economistas, abordarem o tema, mas nunca deram voz a parte mais interessada em ter um mercado 100% legalizado e transparente: as empresas. Pensando nisso, o MKTEsportivoCast saiu do lugar comum e conversou com Hans Schleier, diretor de marketing da Casa de Apostas.

Hoje, dos vinte clubes que disputam a Série A do Campeonato Brasileiro, treze possuem alguma parceria com casas de apostas. A Casa de Apostas se destaca com três patrocinados: Santos, Botafogo e Bahia. Para Hans, a simples exposição da marca não basta.

“Após um ano e meio com os clubes, aprendemos que eles são veículos de comunicação. No entanto, sozinhos, eles não conseguem comunicar, principalmente porque estarão sujeitos aos altos e baixos dos resultados em campo. Percebemos que precisávamos transcender o clube, a própria Casa de Apostas, e falar de temas que são atemporais. O nosso primeiro approach foi o Novembro Azul. Não estamos falando de Santos, Bahia, Vitória ou Botafogo, e nem da nossa empresa, mas sim de prevenção ao câncer”, disse o executivo, que também falou sobre a presença no programa Jogo Aberto, da Bandeirantes, e da Renata Fan como embaixadora da marca.

Com forte presença no futebol, os players do setor são os maiores prejudicados com os casos de manipulação e combinação de resultados que surgem pelo mundo. Para que este cenário fique cada vez mais distante, as empresas de apostas têm investido milhões de dólares no combate a fraudes e esquemas que prejudiquem o setor. Sobre a regulamentação, Hans acredita que ela trará o tema para o cotidiano dos fãs de esporte.

“A regulamentação vai trazer o setor pra uma conversa mais comum, um papo mais aberto e tranquilo. Desta maneira, outros esportes, até outros mercados, também vão interagir com as empresas de apostas. Tenho tentando desde o início do ano um cross com outras marcas. A regulamentação também vai ajudar a deixar mais transparente a relações dos clubes com empresas e com os próprios apostadores. Eu gostaria que aposta esportiva fosse um assunto do nosso cotidiano”, ressaltou.

Por fim, com as tecnologias fazendo com que o fã de esporte interaja cada vez mais com a transmissão ao vivo, o profissional falou sobre como as empresas de apostas podem aproveitar esta nova era de consumo de conteúdo, citando até mesmo como isso pode ser feito.

“Tem total sinergia a geração de conteúdo, que passa pelas apostas esportivas, com a transmissão, ciente que ela não ocorre somente na Tv. Dados estatísticos em tempo real, mudança de cotação, a cotação dinâmica, ou uma promoção que ocorra em dado momento da partida. Isso vai trazer mais relevância para a própria transmissão e mesmo para a Tv. A aposta esportiva cria um cenário para que as informações tenham relevância e contribuam para o telespectador ou cliente que agora está com o celular ao alcance de um clique”, completou.

Ouça o episódio completo no player abaixo ou no Spotify.