Indústria

Brasileirão terá espécie de “Boxing Day” este ano. Veja como a Premier League monetiza a data

9 dez, 2020

O Campeonato Brasileiro de 2020 está totalmente diferente por conta das alterações no calendário necessárias para adequar os atrasos decorrentes da pandemia da Covid-19. Por isso, veremos uma “rodada natalina”, recém confirmada pela CBF, que lembra muito o famoso Boxing Day, a rodada mais especial do Campeonato Inglês.

Os jogos do Brasileirão serão disputados no sábado dia 26 e no domingo dia 27 de dezembro. A abertura da rodada ficará por conta de Atlético Mineiro x Coritiba e Santos x Ceará, às 17h do sábado. O fechamento será às 20h do domingo, com Atlético Goianiense x Grêmio.

Isso abrirá uma grande oportunidade de monetização para os clubes e para as redes de televisão que transmitem os jogos. Recentemente, algumas datas comemorativas já foram bem aproveitadas no Brasil, como a Black Friday, que contou com promoções especiais para os espectadores das partidas exibidas na Rede Globo, realizadas pelos os parceiros da transmissão.

O Boxing Day é visto como uma das maiores fontes de renda da Premier League. Além de ser a rodada com a maior procura de ingressos, os direitos de transmissões dos jogos natalinos também são os mais disputados.

Em 2018, a Amazon adquiriu o direito de exibir a rodada por 3 anos em seu serviço de streaming. Os valores não foram divulgados, mas a especulação é que ultrapassam as 90 milhões de libras (mais de R$620 milhões na cotação atual). Esses números se baseiam em um contrato firmado anteriormente com o canal BT Sport, com um pacote inferior ao cedido à Amazon.

O alto investimento rendeu frutos rapidamente para a empresa de Jeff Bezos. A estreia da Premier League no Amazon Prime foi no ano passado, o que fez com que o número de novos inscritos na plataforma de streaming batesse recordes.

Em sua coluna no portal de auxílio ao consumidor MagoDeCasa, o especialista em finanças Victor Oliveira, explicou alguns dos motivos para essa supervalorização da rodada natalina: “No Natal e nos dias posteriores, é comum que muito mais pessoas estejam em casa reunidas com a família. A própria união já aumenta a audiência dos jogos. Soma-se a isso o fato de o Natal criar demandas muito específicas de consumo, que podem ser fortemente exploradas comercialmente durante os intervalos, em um dos períodos do ano em que a população mais está propensa a fazer compras. É a chance de exibir aqueles produtos que não tem a imagem tão ligada ao futebol, e ainda assim ter êxito nas campanhas”.

Agora, resta esperar e ver se os clubes conseguirão alguma forma de patrocínio pontual para a ocasião, se as empresas que já são parceiras dos times conseguirão explorar a data especial e se as emissoras de TV oferecerão inserções diferenciadas aos seus parceiros comerciais.