Coluna

Streaming pesou em saída da Globo e acerto da Fórmula 1 com a Band

8 fev, 2021
Eduardo Esteves
Diretor Executivo do MKTEsportivo
Ver mais artigos deste autor

O desejo de expandir a plataforma de streaming da F1, a F1 TV Pro, para o território brasileiro motivou a opção da Globo de não seguir com a categoria para 2021.

Em setembro, quando a Liberty Media acertou com a Rio Motorsports para revender os direitos de transmissão da F1 no Brasil, ficou acordado que o serviço F1 TV Pro seria lançado no Brasil. Até aqui, como um dos mercados prioritários da Liberty em popularidade, audiência e alcance, a chegada da plataforma de OTT era vista quase que como uma obrigatoriedade. No entanto, sempre acabou esbarrando na exclusividade da Globo em todas as mídias (tv aberta, fechada e streaming).

Hoje, a F1 TV Pro está no centro da estratégia de digitalização da Liberty desde quando comprou os direitos comerciais da F1. Levar para um dos seus mercados mais fortes virou questão de honra.

Com desejo de seguir com a principal categoria de automobilismo em sua grande, a Globo chegou a flexibilizar o seu posicionamento e permitir o lançamento da F1 TV Pro, deixando para os executivos da F1 de que maneira isso seria lançado (se diretamente ou uma parceria com algum player). No entanto, as negociações esfriaram e a Band entrou no caminho, aceitando todas as condições, inclusive de transmitir todos os treinos e provas, ao vivo.

Além disso, uma forte cobertura em outros programas da casa e a promoção da própria F1 TV Pro. Importante lembrar que a Band já é parceira da F-1 nas rádios, facilitando ainda mais o acerto. Naturalmente, uma equipe de cobertura que envolverá profissionais da Globo.