Indústria

CBF recebe a 1ª Arena Ping-Pong do Brasil

Iniciativa é parte do projeto de popularização da modalidade pela Confederação Brasileira de Tênis de Mesa

CBF recebe a 1ª Arena Ping-Pong do Brasil

23 de março de 2021

2 minutos de Leitura

A Confederação Brasileira de Futebol será a casa da primeira “Arena Ping Pong”, parte do projeto que prevê a popularização do tênis de mesa no Brasil. A mesa foi instalada dentro da sede da CBF, na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro. A arena é parte de um projeto formatado pela Confederação Brasileira de Tênis de Mesa (CBTM) para popularizar a prática da modalidade no país. O primeiro passo foi assumir a nomenclatura “ping pong” para se referir ao esporte.

O projeto da Arena Ping Pong pretende instalar mesas profissionais para a prática da modalidade em empresas, associações e condomínios. A entrega da Arena Ping Pong customizada para a CBF foi realizada pessoalmente pelo presidente da CBTM, Alaor Azevedo, ao presidente da entidade, Rogério Caboclo.

“Fico muito feliz em ver o interesse da nossa mais importante Confederação Nacional, pentacampeã mundial, em ter uma Arena Ping-Pong. O presidente Rogério é um bom mesa-tenista e, inclusive, tem uma ótima mesa importada em seu apartamento no Rio de Janeiro, onde joga com o seu filho frequentemente, e pretende também ter aulas particulares para melhorar ainda mais o seu nível, que já é bom”, comentou Alaor Azevedo.

“Acreditamos em um novo modelo de trabalho, híbrido e responsável, com escritórios focados em relacionamento e líderes cada vez mais atentos à sua equipe. A Arena Ping-Pong tem o propósito de fomentar todas essas questões. Temos a oportunidade de aumentar os pontos de contato da modalidade e aproveitar o novo cenário das empresas no pós-pandemia”, completou João Gabriel Leite, gerente de desenvolvimento da CBTM.

O projeto da Arena Ping-Pong envolve também o fornecimento de raquetes e bolinhas, uma plataforma de gamificação para colaboradores do local, cenografia personalizada, mural de bolinhas com nomes de funcionários e um espaço para a raquete da fama. Os participantes poderão ter registro federativo e contar com benefícios, como camisas, workshops, palestras e prêmios.

O custo para ter a arena no seu local de trabalho varia de R$ 1 mil a R$ 15 mil mensais.

Compartilhe