Coluna

Estudo apresenta termômetro do esporte ao vivo no streaming por país

4 mar, 2021
Eduardo Esteves
Diretor Executivo do MKTEsportivo
Ver mais artigos deste autor

Já não dá mais pra negar que as plataformas de streaming OTT com eventos esportivos ao vivo chegaram para ficar. E o aumento do consumo por meio delas, também. Isso não quer dizer que a transmissão linear, ou digamos, “convencional”, esteja perdendo espaço. Não. Mas há uma experiência complementar.

Eu trago um estudo bem interessante da YouGov, empresa britânica líder internacional de pesquisa de mercado baseada na internet. O levantamento Global Fan Profiles buscou mapear o comportamento do fã de esporte em relação aos conteúdos ao vivo. Iniciando a coleta em novembro de 2020, a empresa apresentou resultados após ouvir mais de 70 mil consumidores em todo mundo. Um tamanho de amostra grande que mostra detalhes robustos e relevantes sobre o que as pessoas, de fato, desejam consumir.

De cara, nota-se que os espectadores na China são mais propensos a consumir esportes no streaming, uma vez que a diferença para a Tv é menor dado o tamanho do país (54% x 66%). O acesso ao esporte ao vivo cresce no país asiático em um momento que se tem mais de 800 milhões de internautas, sendo 98% deles com dispositivos móveis.

Em todos os mercados, é inegável que assistir esporte ao vivo na TV continua sendo mais popular do que o streaming. A audiência da TV tradicional ao vivo é mais alta na América do Sul, com destaques para Peru (84%), Colômbia (81%) e Brasil (78%). No entanto, ao analisar a coluna do streaming destes países, nota-se que existe uma relevante inclinação ao consumo OTT. Já na Europa, os números do streaming são bem menores, como no Reino Unido (24%), Itália (25%), Finlândia (22%), Espanha (28%), Dinamarca (20%), Alemanha (19%) e França (16%).

Sobre a faixa etária de consumo, enquanto a Tv se mostra soberana de 18 até +55 (entre 61% e 71%) anos, o streaming se destaca de 18-24 (47%) e 25-34 (45%).