Coluna

Um All-Star diferente, sim. Mas muito especial

6 mar, 2021
Rodrigo Vicentini
Head da NBA no Brasil
Ver mais artigos deste autor

Este é um domingo especial para a NBA. Atlanta recebe, pela terceira vez na história, o NBA All-Star Weekend. A mesma Atlanta onde Michael Jordan disputou, pela última vez, o All-Star, em 2003, veste sua melhor roupa para receber os maiores astros da liga na 70ª edição do evento.

Um All-Star diferente, sim, mas apenas no formato.

Assim como fizemos no ano passado, entre julho e outubro, quando adotamos o sistema de ‘bolha’ em Orlando, o evento deste ano terá medidas especiais, seguindo as orientações das autoridades de saúde e todos os protocolos de segurança, com um número reduzido de profissionais, staff, mídia e sem a presença dos fãs.

Diferente, sim, mas com a mesma essência, a mesma emoção, com todos os astros presentes e pensado nos mínimos detalhes para que a experiência do fã em todo o mundo seja a melhor possível, no conforto de sua casa, ao lado de sua família.

Quem já assistiu ao menos uma edição do evento, sabe que não faltam emoção, entretenimento, alegria e, claro, as ‘surpresas’ que sempre marcam o fim de semana das estrelas. Todos os anos esperamos pelo evento e esse ano a expectativa não poderia deixar de ser enorme também.

Serão cinco, seis horas de muito basquete na State Farm Arena, com a disputa do Torneio de Enterradas AT&T, o Desafio de Habilidades Taco Bell, Torneio MTN Dew Três Pontos e o All-Star Game reunindo craques como Stephen Curry, Luka Doncic, Rudy Gobert, Giannis Antetokounmpo, James Harden e muitos outros. Ah, claro, LeBron James também vai estar lá…

LeBron fará sua 17ª aparição consecutiva em All-Star – atrás apenas de Kobe Bryant (18) e Kareem Abdul-Jabbar (19) -, escrevendo mais um capítulo em sua história na liga, sendo o atual recordista de pontos no jogo (385) e em busca do quarto troféu de ‘MVP’ (Jogador Mais Valioso).

O All-Star desse ano também tem um viés social muito forte. Na esteira das ações que se iniciaram em março do ano passado, quando a temporada foi suspensa, a liga vai promover uma série de atividades, em parceria com faculdades e universidades, sobre a cultura negra e equidade, além de iniciativas de conscientização sobre cuidados e vacinas no combate à pandemia do COVID-19.

Será um All-Star inesquecível. Não vão faltar grandes jogadas, momentos divertidos, lances espetaculares que ficarão marcados na história. Prepare a pipoca, ponha o seu refrigerante, a sua cerveja para gelar, porque são muitos os motivos para você estar na frente da telinha na noite de domingo. É um All-Star diferente, sim. Mas muito especial.

E evento especial é feito para fãs especiais.

Que suba a bola!