Coluna

O BBB ensina, aprende quem quer!

18 maio, 2021
André Mendes
Head de PR e Diversidade da agência Máindi, consultor e palestrante
Ver mais artigos deste autor

Já passaram alguns dias após o término da edição histórica do Big Brother Brasil – e não falarei aqui como um fã do reality. Quero me limitar apenas aos fatos que podemos constatar e, no mínimo, aprender com o maior programa de entretenimento da TV no momento, pois eu desconheço uma atração que tenha chegado ao patamar de ter mais de 550 milhões de lucro com patrocinadores.

Antes de mais nada, preciso frisar que um papel importante para quem trabalha com comunicação é o de saber dividir para poder analisar, pois nem sempre aquilo que me agrada será o ideal para as necessidades da instituição que eu represento, sendo eu um funcionário, um consultor ou um prestador de serviços.

O BBB só chegou à  edição de número 21 por dar audiência. Afinal, se não tivesse público, certamente já teria saído da programação da TV Globo, como tantos outros programas. Então, o que mobiliza as pessoas a ficarem ligadas na tela? Qual o segredo do reality show? Os fatores, na realidade, são vários. Mas podemos centralizar aqui na curiosidade: nós queremos saber da vida das pessoas, como elas se comportam, suas atitudes reais, e, claro, fazer algumas fofocas. E tudo isso é conteúdo, que por consequência gera audiência, que por consequência gera engajamento, que por consequência gera rentabilidade. Com o tempo passando e a pandemia continuando por aqui, a necessidade de se passar mais tempo em casa somada à enxurrada de notícias negativas, o entretenimento televisivo se tornou uma válvula de escape enorme e poderosa.

Saber aproveitar estrategicamente as oportunidades é algo que só vai agregar, podemos pegar como exemplo a Avon, que traçou um plano impecável, desde o patrocínio ao programa, criação de ações no mundo real – e ainda contando com a contratação de Lucas Penteado como garoto propaganda. O resultado? O faturamento de vendas no e-commerce triplicou, engajando ainda mais o público nas redes sociais e ganhando pontos positivos com algumas comunidades das quais a empresa é comprometida.

E vejam só: o poder dos realitys também ganhou força para além da telinha. Hoje nós temos as “mansões do like” que reúnem influenciadores dos mais variados segmentos para produção de conteúdo em conjunto, a fim de amplificar o alcance das redes por despertar, ainda mais, o interesse do público – como sempre muito curioso e aberto para novas possibilidades.

Olhando agora diretamente para o futebol podemos citar alguns cases interessantes que, assim como o BBB, geraram muitos comentários e aumentaram a curiosidade pública – tanto por parte dos que gostaram das ações como daqueles que as rejeitaram, mas que no final das contas contribuem para aumentar a audiência.

O primeiro deles foi a série do Fred, do Desimpedidos, com o Magnus Futsal, mostrando sua trajetória em quadra, desde a notícia inicial, passando pela assinatura do contrato, até virar um atleta profissional – contando com a mentoria do Rei Falcão em todos os passos. Nesse caso, o auge foi o último episódio da série, em que Fred faz um gol nos últimos segundos de sua última partida pelo time, com o ginásio comemorando como se fosse uma final de campeonato.

Mais recentemente, porém, temos o Cartolouco com o clube Resende, rendendo especulações tão grandes que até o Zico, o eterno Galinho de Quintino, posicionou-se a respeito. Apesar de que, nesse caso, não quero entrar nos méritos dele. Só quero mostrar um fato: pesquisando na internet alguma outra declaração de Zico sobre o clube do interior do Rio, não encontrei nada. Mas essa “loucura” – como tratada por alguns – fez com que um grande ídolo do futebol tomasse nota a respeito do clube.

Por fim, temos o jornalista Duda Garbi trazendo um documentário sobre o sonho de ser um jogador de futebol profissional. Quebrando a barreira do clubismo – Duda é gremista – entrou nos bastidores do São José para contar como funciona a real rotina de um clube de futebol.

Bom, cada um trouxe um formato de conteúdo diferente – sempre alinhando ao anseio de seu público – mas os números alcançados em cada ação são incríveis e nos dizem muito sobre o atual cenário. E é aquela coisa, contra dados não há muito o que contestar, certo? Como disse anteriormente, as pessoas são curiosas e sempre querem mais de tudo o que for possível.

O aprendizado, aqui, está em saber usar bem o conteúdo. Nas últimas edições o reality se reinventou, trazendo personalidades já conhecidas ao lado de anônimos, isso aumentou absurdamente a audiência e receita do programa, ou melhor, da emissora. Então fica a pergunta, será que você não tem em mãos um ativo (atleta, embaixador, colaborador, influencer) que também desperta a curiosidade do público e nem percebeu?

Como eu comecei dizendo aqui o BBB ensina, e muito! Mas só aprende com ele quem realmente quer.