Heineken tira garrafa de coletivas de jogadores muçulmanos na Euro

Marca adotou tal posicionamento após caso envolvendo o francês Pogba

junho 25, 2021

A Heineken e a Uefa anunciaram que não serão mais colocadas garrafas de Heineken sem álcool na frente dos jogadores muçulmanos durante suas coletivas. Agora, equipes, dirigentes e jogadores serão questionados de antemão se eles se oporiam a ter as garrafas de Heineken 0.0 na mesa por motivos religiosos.

A ideia surgiu após Paul Pogba, que é muçulmano, ter tirado a garrafa da marca, o que acabou sendo repetido por outros jogadores. A Heineken respeitou o gesto de Pogba, mas pressionou, junto com a Coca-Cola, a Uefa por causa do descontrole sobre a situação nas entrevistas. A entidade emitiu comunicado confirmando que os atletas, por motivos religiosos, poderiam retirar as garrafas, mas orientou as federações a não permitirem que os atletas retirassem as bebidas.

“Se for por motivos religiosos, eles não precisam ter uma garrafa lá. Nunca multamos um jogador diretamente. Fazemos isso sempre por meio da federação nacional participante, e eles podem ver se vão mais longe. Temos regulamentos assinados pelas federações participantes. Nós os lembramos de suas obrigações, mas é claro que isso (multas) é sempre uma possibilidade”, disse Martin Kallen, diretor da Euro 2020.