Patrocínio

Sem público nos Jogos, Visa muda estratégia em ativações olímpicas no Brasil

A empresa é parceira TOP do Comitê Olímpico Internacional (COI) desde 1986

22 jul, 2021

Sem público nos Jogos Olímpicos de Tóquio, as marcas patrocinadoras do evento estão tímidas em suas ativações. No país-sede, Toyota e Panasonic não farão grandes ações. Parceira TOP do Comitê Olímpico Internacional (COI) desde 1986, a Visa anunciou algumas iniciativas focadas no mercado brasileiro.

A empresa sempre focou em parcerias com instituições bancárias para oferecer ações promocionais que estimulem o uso de cartão de crédito de sua bandeira para que o consumidor tenha a chance de ganhar pacotes de viagens para os Jogos. Com a impossibilidade de público, a empresa pouco tem feito.

Com a Caixa, foi criada a promoção “Quadro de Medalhas”. Nele, Visa e o banco estatal oferecem medalhas virtuais para o consumidor que gastar R$ 50 dentro do programa Vai de Visa do cartão da Caixa. Cada medalha é um número da sorte que dá prêmios semanais como smartphones, videogames e televisores. Além disso, cada compra feita com o cartão dentro do Vai de Visa gera um número da sorte que pode render um prêmio diário de R$ 500. Essa ação vai até 9 de setembro, quando se encerram os Jogos Paralímpicos de Tóquio.

Já com Mercado Pago, a ação é restrita a donos do cartão virtual Mercado Pago Visa Gold. Nela, a cada R$ 20 gastos no cartão de crédito virtual, o consumidor gira uma roleta da sorte que pode render um prêmio de até R$ 500. Mais curta, essa promoção vai até 8 de agosto, quando acontece o encerramento dos Jogos Olímpicos.

Para tentar compensar as ausências na capital japonesa, a Visa vai explorar a imagem de seus embaixadores que por lá estão, como o surfista Gabriel Medina, o duplista de vôlei de praia Alisson Cerutti e o nadador paralímpico Daniel Dias.