Tecnologia

Sem público presencial, Tóquio usará tecnologia para inserir fãs nos Jogos

Iniciativas interativas foram desenvolvidas pelo COI em parceria com o Olympic Broadcasting Services (OBS)

13 jul, 2021

O Comitê Olímpico Internacional (COI) divulgou que os espectadores dos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 poderão se utilizar de recursos interativos para interagir com o evento. Eles foram desenvolvidos pelo COI e pela Olympic Broadcasting Services (OBS), órgão criado pelo COI em 2001 para ser o responsável pelo fornecimento de imagens dos Jogos Olímpicos para os detentores dos direitos de radiodifusão, em conjunto com as próprias emissoras parceiras.

De acordo com o COI, Tóquio 2020 está programado para ser transmitido globalmente para um público potencial de mais de 5 bilhões de pessoas, com uma cobertura de parceiros de transmissão maior do que qualquer outra Olimpíada anterior em TV linear e digital. No Japão, a cobertura de televisão deverá ser o dobro do que foi no Rio 2016. Nos Estados Unidos, a NBCUniversal levará ao ar mais de 7 mil horas de cobertura em plataformas digitais e de TV, um recorde olímpico no país. Já na Europa, o Discovery Eurosport exibirá até 4 mil horas de cobertura em sua plataforma de TV e digital, que está sendo disponibilizada em 48 territórios.

A OBS já divulgou que a expectativa é produzir mais de 9 mil horas de conteúdo, 30% a mais do que no Rio 2016. A cobertura utilizará ângulos de câmera exclusivos, replays em 360o, realidade virtual (VR) e mais dados analíticos processados ​​por inteligência artificial (IA) do que em quaisquer eventos olímpicos anteriores.

“Nossa ambição é trazer a magia das conquistas dos atletas para o mundo em uma escala sem precedentes. A tecnologia desempenhará um papel essencial e nos permitirá trazer os fãs ‘para dentro dos Jogos’ virtualmente. Esta é uma ambição importante, não apenas para os fãs, mas também para os atletas que competem no maior palco do mundo. Acreditamos que essas novas inovações digitais deixarão um legado que usaremos em futuras edições dos Jogos Olímpicos”, disse Yiannis Exarchos, CEO da OBS.

Para os espectadores, os recursos digitais incluem a “Fan Video Matrix” (selfies em vídeos de cinco segundos gravados pelos fãs), que será exibida nas telas dos locais de competição. Já o “Cheer Map” envolverá um botão de torcida incorporado nas plataformas digitais das emissoras que os fãs poderão usar para aplaudir ou torcer durante os eventos ao vivo. Esta atividade será capturada e apresentada em um mapa global mostrando de onde os fãs estão torcendo virtualmente. O mapa estará disponível como um stream de vídeo para as emissoras e também será mostrado nas telas dos locais de competições.

Haverá também o “Athlete Moment – Family & Friends”, que estará disponível em locais selecionados. Por meio dele, os atletas olímpicos poderão interagir ao vivo, logo após as competições, com familiares e amigos em casa por meio de estações dedicadas.

O site Olympics.com servirá como um balcão único para todas as propriedades on-line olímpicas, projetado para garantir “envolvimento digital aprimorado e simplificado durante e entre os Jogos”, uma espécie de “Fan Zone interativa”.

Por fim, ativações com patrocinadores oficiais como o Airbnb, que já está oferecendo uma série de experiências com atletas olímpicos e paralímpicos durante os Jogos, incluindo oportunidades de assistir a vídeos dos bastidores.