Futebol

Athletico ratifica posicionamento contra volta da torcida com liminar na Sul-Americana

Seis sócios do clube conseguiram autorização para assistir à semifinal na Arena da Baixada

Athletico ratifica posicionamento contra volta da torcida com liminar na Sul-Americana

30 de setembro de 2021

2 minutos de Leitura

O Athletico foi o único clube da elite do Brasileiro a votar contra a volta do público nos estádios. Agora, o Furacão obteve uma liminar para reverter uma decisão que liberava a presença de seis torcedores na partida de volta da semifinal da Copa Sul-Americana. O duelo será nesta quinta-feira (30), às 21h30, contra o Peñarol.

Segundo informações do “Globo Esporte”, o desembargador Renato Lopes de Paiva decidiu acatar o pedido do clube por entender que a vontade dos torcedores não pode passar por cima das preocupações impostas pela pandemia de coronavírus.

“O direito dos associados de acompanharem a partida no próprio estádio não pode, em teoria, se sobrepor às regras de organização e segurança coletivas impostas em decorrência da pandemia da Covid-19, especialmente quando devem ser implementadas em poucas horas”, comunicou o desembargador.

O presidente do Athletico, Mario Celso Petraglia, declarou que o retorno do público à Arena da Baixada ocorrerá quando a pandemia estiver controlada. Ele já solicitou uma reunião do Conselho athleticano para deliberar sobre o tema.

“Pedi para o presidente do Conselho convocar uma reunião para ouvir todos os conselheiros e não ter uma decisão monocrática. E que todos saibam quanto vai custar abrir o estádio durante a pandemia. Porque, com 5 mil, não cobriremos nem o número de sócios que temos com direito de ir ao estádio sem pagar o ingresso. Não teremos bilheteria, não teremos alimentos e bebidas, e teremos todos os custos”, comentou Petraglia, em entrevista ao GE.

Ainda na entrevista, Petraglia explica que uma de suas preocupações é com os custos, que segundo ele, podem ser mais de R$ 200 mil por jogo.

“Não teremos bilheteria, não teremos alimentos e bebidas, e teremos todos os custos. Então, para não parecer uma decisão monocrática minha, nós iremos ouvir o Conselho. E também ouviremos como eles poderão ajudar, o conselho ajudar a pagar essa conta”, finalizou o mandatário.

Compartilhe