Patrocínio

Para controlar impactos ambientais, Coritiba fecha patrocínio com GreenPlat

Coxa quer se tornar o primeiro clube brasileiro a controlar impactos ambientais e ser referência internacional no meio do futebol

13 out, 2021

O Coritiba anunciou um acordo com a GreenPlat, startup brasileira de tecnologia que atua na área de gestão ambiental e é responsável por fazer o controle e a rastreabilidade em blockchain de cadeias produtivas para empresas e governos. A empresa terá exposição acima do escudo do clube, de um dos lados do espaço do peito da camisa.

Ratificando cada vez mais um posicionamento sustentável, o Coritiba quer se tornar o primeiro clube brasileiro a controlar impactos ambientais e ser referência internacional no meio do futebol. Em maio, já havia assinado um acordo com a Grande Reserva Mata Atlântica, cujo objetivo é fortalecer a proteção do bioma.

A GreenPlat fará o mapeamento de resíduos do clube, acompanhando todo o ciclo de vida de produtos, desde a produção de matérias-primas até o descarte e destinação dos resíduos gerados. A ideia é atingir o Selo Aterro Zero (2) nas operações no Centro de Treinamento e no Estádio Couto Pereira, inclusive em dias de jogos, doando recicláveis a Cooperativas de Catadores de Materiais Recicláveis na região de Curitiba (PR). Assim, o Coxa conseguirá atender a todas as legislações, licenças e certificações necessárias na área ambiental.

“Essa gestão trouxe isso como uma inovação desde o planejamento estratégico. Estamos trabalhando na implantação dessa metodologia com ações efetivas e parceiros altamente capacitados em tornar o Coritiba o primeiro clube sustentável do Brasil”, disse Juarez Moraes, presidente do Coritiba.

“O Coxa já tem um viés de sustentabilidade, e essa parceria vai além do Centro de Treinamento e do Estádio Couto Pereira, pois incentivará também seus torcedores, jogadores e parceiros do time a serem mais conscientes com o meio ambiente e a se tornarem agentes de transformação ambiental na construção de uma economia sustentável, impactando toda a sociedade no seu entorno. Para início do trabalho, já estamos identificando os resíduos produzidos internamente, mapeando consumos de água e energia, além dos pontos de descarte, seja em jogos, treinos ou atividades administrativas. Estamos buscando alternativas para reduzir essa geração, tudo isso a partir do uso do nosso software. E através dos dados gerados, conseguimos verificar a possibilidade de compostagem dos resíduos orgânicos, reúso de água e, também, certificar que os resíduos recicláveis sejam reutilizados ou encaminhados para reciclagem”, acrescentou Chicko Sousa, fundador da GreenPlat.