Atletas

Com atletas olímpicas, Riachuelo lança Projeto Inspire

Rebeca Andrade, Ana Marcela Cunha, Etiene Medeiros, Raissa Rocha Machado e Fernanda Keller serão as embaixadoras da iniciativa

24 nov, 2021

A Riachuelo ratificou o seu foco em patrocínio às mulheres no esporte e lançou o Projeto Inspire, uma plataforma digital que tem como objetivo exaltar o público feminino..

Rebeca Andrade (ginástica), Ana Marcela Cunha (maratona aquática), Etiene Medeiros (natação), da paratleta Raissa Rocha Machado e da triatleta Fernanda Keller serão as embaixadoras do projeto, que chega com parcerias com a Secretaria de Esportes, Lazer e Juventude do Rio de Janeiro e da agência Golden Goal. Nesse espaço, as atletas terão voz para inspirar outras mulheres, sempre observando que não se trata da superatleta, mas sobre todo o universo feminino.

“Como uma marca que tem as pessoas no cento do seu negócio, buscamos sempre dar voz a projetos que dão protagonismos às mulheres. Além disso, somos uma empresa formada por mulheres, que representam 67% do quadro de 40 mil colaboradores, 63% delas ocupando cargos de liderança. Entendemos o quão importante é dar voz à luta feminina, principalmente por meio de mulheres que representam tanto para as brasileiras”, disse Marcella Kanner, head de comunicação e marca da Riachuelo.

“Acreditamos em todo o potencial de transformação pelo Esporte, do apoio e da representatividade. A missão do projeto é inspirar e incentivar as mulheres de todo Brasil a buscarem seus objetivos e conquistarem seu espaço em todos os setores da nossa sociedade. Queremos também dar visibilidade à luta feminina dentro e fora do Esporte, trazendo temas que irão influenciar positivamente o dia a dia de todas as mulheres”, acrescentou Paula Passo, gestora do projeto dentro da Golden Goal.

Durante um ano, a plataforma gerará conteúdos com temas relacionados ao empoderamento da mulher, desigualdade de gênero, dia a dia das atletas e saúde mental. O Inspire pretende também discutir todo o processo de autonomia da mulher, assim como falar da jornada das atletas até suas carreiras atuais.

“Todas conhecem o quanto essas meninas super poderosas batalharam para estarem aqui. Essa plataforma é para inspirar que outras venham. É sobre empoderamento feminino. São pautas importantes, enfrentamentos importantes. Dentro e fora da piscina, do Mar, dos ginásios”, disse Etiene.

“Tenho acompanhamento psicológico desde os meus 13 anos. E tenho certeza de que foi fundamental. Foi bem difícil quando saiu a notícia da Simone. Já é difícil para uma atleta abrir mão de uma competição. Imagina uma Olimpíada, que é só de quatro em quatro anos. Mas confesso que fiquei feliz de ela ter se colocado em primeiro lugar, porque ela podia ter se lesionado. Os Estados Unidos são um país referência na ginástica e ela sofreu muita pressão dela própria, da equipe, do país, ainda mais sendo uma das melhores do mundo. E fiquei feliz que ela voltou a competir no último dia e ainda conquistou uma medalha. Como mulher, negra, ela me inspira a me colocar em primeiro lugar, pensar no meu corpo”, comentou Rebeca.