Futebol

Experiências presenciais ditarão final da Libertadores com clubes brasileiros

Governo uruguaio liberou 75% da capacidade do Estádio Centenario

Experiências presenciais ditarão final da Libertadores com clubes brasileiros

12 de novembro de 2021

2 minutos de Leitura

Pelo segundo ano consecutivo, a final da Libertadores envolverá dois clubes brasileiros. Se em 2020, Palmeiras e Santos decidiram o título no Maracanã, desta vez, o alviverde repete o feito e jogará contra o Flamengo. Mesmo com a partida única sendo disputada em Montevidéu, no Uruguai, as experiências in loco para os torcedores brasileiros que estarão na capital uruguaia não ficarão de fora.

Com passagem marcante pelo futebol carioca, Joel Santana é um dos que estará no estádio Centenário. Sucesso no mercado publicitário, o ex-treinador fará parte de uma experiência oferecida pela Absolut Sport.

“É muito legal oferecer essa experiência ao torcedor, que certamente guardará na memória eternamente essa vivência. Assistir à final da Libertadores ao lado do Joel Santana é algo único. Conversar com ele sobre o jogo, aprender sobre futebol, tudo isso no clima de uma decisão tão grandiosa, acompanhando tudo de pertinho no estádio. Essa é a principal ação que temos para o projeto, mas não a única”, disse Harry Collecta, VP e cofundador da agência, que também promove projetos envolvendo Super Bowl, Copa América e Rock in Rio.

Mesmo com 75% da capacidade do Estádio Centenario liberado pelo governo uruguaio, as torcidas de Palmeiras e Flamengo prometem um espetáculo marcante. A do Fla, por exemplo, já esgotou as entradas para o seu setor. O retorno do público aos estádios, já em um estágio avançado no Brasil, tem contribuído com o trabalho de agências especializadas em experiências esportivas e de entretenimento.

“Nós estávamos com uma saudade imensa de entregar experiências in loco para os torcedores. Foram longos meses de paralisação, sem público nos estádios, mas agora estamos de volta. O esporte precisa do público, dos fãs, e a emoção no estádio é completamente diferente, não tem palavra que defina”, acrescentou Harry.

Compartilhe