Atletas

Por recusar vacina, Aaron Rodgers perde patrocínio com empresa de saúde

Por outro lado, o quarterback do Green Bay Packers não se considera antivacina

10 nov, 2021

Aaron Rodgers perdeu o patrocínio da organização de saúde Prevea Health. Juntos desde 2012, o quarterback do Green Bay Packers optou por não se vacinar contra a Covid-19 e motivou o fim da relação.

O fato ganhou grande repercussão na semana passada, quando o jogador testou positivo para a doença e, em seguida, surgiu a informação de que ele não havia tomado a vacina. No entanto, para evitar polêmica, o astro havia dito à imprensa que se vacinou.

Na sexta-feira (5), no programa Pat McAfee Show, Rodgers afirmou que não se vacinou por ser alérgico a um ativo encontrado nas vacinas da Pfizer e da Moderna, além de ter preocupações com coagulos sanguíneos em relação à vacina da Janssen. Ele ainda relacionou, de maneira incorreta, as vacinas da Covid-19 com a infertilidade. Vale lembrar que o jogador já havia criticado os protocolos da NFL com relação à Covid-19, como o uso de máscara em ambientes fechados para jogadores não vacinados.

”Eu não sou, você sabe, algum tipo de antivacina. Sou alguém que é um pensador crítico. Acredito fortemente na autonomia corporal e na capacidade de fazer escolhas pelo seu corpo. A saúde não é uma solução única para todos”, disse Rodgers no programa.