Patrocínio

Por publicidade enganosa, Arsenal tem anúncio de fan tokens banido

Órgão regulador diz que anúncios enganariam público sobre riscos de investir nestes ativos

Por publicidade enganosa, Arsenal tem anúncio de fan tokens banido

22 de dezembro de 2021

2 minutos de Leitura

A Autoridade de Padrões para Publicidade (ASA), órgão regulador da área no Reino Unido, proibiu dois anúncios do Arsenal envolvendo fan tokens sob a alegação de que estariam enganando o público sobre os riscos de investir em criptomoedas.

Segundo a ASA, os gunners estariam “aproveitando a inexperiência ou credulidade dos consumidores, banalizando o investimento em ativos criptográficos, enganando os consumidores sobre o risco do investimento e não deixando claro que o ‘token’ é um ativo criptográfico ”.

“Levamos muito a sério nossas responsabilidades em relação ao marketing para nossos torcedores. Consideramos cuidadosamente as comunicações aos fãs sobre nossas promoções e fornecemos informações sobre riscos financeiros”, divulgou o Arsenal em sua defesa.

A atuação da ASA não impactou o Arsenal somente. A entidade baniu 25 publicidades, entre elas, a do Skrill, também uma empresa de criptomoedas. Já a THG, marca de comércio online, fez “alegações enganosas sobre descontos em produtos de cabelo” em seu site Lookfantastic.

Também foram banidos ações de influenciadores no Instagram que não alertaram que seus posts eram patrocinados. Foi o caso de Charlotte Dawson e Chloe Ferry, estrelas de programas de reality show, de Jamie Genevieve, que possui canal de beleza e Anastasia Kingsnorth, dona de canal de vídeos.

Vale lembrar que as criptomoedas estão crescendo no futebol. Na Inglaterra, o Watford é um bom exemplo. Já a Juventus é parceira da plataforma de criptomoeda Bitget, que figura nas mangas de sua camisa.

Por outro lado, existem casos que já foram enquadrados e suspensos. No Manchester City, a parceria com a 3key Technologies foi desfeita logo após o anúncio pela falta de informações sobre a origem da empresa. O Barcelona suspendeu contrato com a Ownix depois que um consultor que trabalhava para a empresa foi preso por acusações de fraude.

Compartilhe