John Textor assina acordo e Botafogo é o mais novo membro da Libra

O Glorioso se junta ao Corinthians, Cruzeiro, Flamengo, Palmeiras, Ponte Preta, Red Bull Bragantino, São Paulo, Santos e Vasco

maio 14, 2022

O Botafogo é o mais novo membro da Libra, a Liga de Futebol Brasileiro. John Textor, acionista do clube, confirmou a novidade após se reunir com os representantes dos clubes que já haviam assinado o estatuto. O MKTEsportivo adiantou que isso aconteceria.

“O Botafogo tem a honra de se juntar aos principais clubes do futebol brasileiro. Traçamos um caminho para posicionar a LIBRA entre as principais e mais competitivas ligas do mundo”, destacou Textor.

Além do Botafogo, já assinaram o estatuto de criação da Libra o Corinthians, Flamengo, Palmeiras, Red Bull Bragantino, Santos e São Paulo (Série A) e Cruzeiro, Ponte Preta e Vasco (Série B). O time de São Januário foi o último a aderir ao bloco, na segunda-feira (9).

O executivo americano exaltou a união dos clubes em prol de uma liga brasileira e como todos estão unidos para levar o futebol brasileiro a um novo patamar.

“Fiquei impressionado com a recepção calorosa que recebemos de um grupo com grandes dirigentes do esporte nacional. Também fiquei surpreso com a mente aberta do grupo e suas novas ideias. Ficou óbvio que teríamos grande sucesso juntos em levar o futebol brasileiro de volta ao seu lugar de direito no mundo. Podemos lutar uns contra os outros em campo, mas seremos imbatíveis enquanto parceiros na construção de uma Liga para deixar os brasileiros orgulhosos”, finalizou Textor.

Neste momento, conforme o MKTEsportivo destacou, os clubes que ainda não assinaram com a liga brasileira esperam uma mudança no estatuto que envolve, principalmente, a divisão igualitária de receitas.

ponto central é que estes clubes não aceitam os percentuais de divisão de receitas propostos pela Libra, que segue o 40-30-30, com 40% do valor arrecadado dividido igualmente entre os times; 30% de acordo com a performance no campeonato; e os 30% restantes envolvem critérios de média de público nos estádios, base de assinantes no streaming, seguidores nas redes sociais, audiência na TV aberta e tamanho da torcida. Eles priorizam o modelo 50-25-25, com 50% fixos dividido entre todos, 25% por performance no campeonato e 25% por audiência. Além disso, desejam que no estatuto, o clube de maior cota ganhe no máximo 3,5 vezes mais do que o time de menor.

No entanto, após conversas entre os presidentes, as reivindicações do bloco que ainda não aderiu à liga não estão tão distantes dos números apresentados no estatuto da Libra.