Indústria

Justiça absolve Blatter e Platini de acusações de fraude, peculato e corrupção

Tribunal julgou pagamento a ex-presidente da Uefa por suposto serviço de consultoria

Justiça absolve Blatter e Platini de acusações de fraude, peculato e corrupção

08 de julho de 2022

2 minutos de Leitura

O ex-presidente da Fifa, Joseph Blatter, e Michel Platini foram inocentados de acusações de corrupção e fraude pelo Tribunal Criminal Federal da cidade de Bellinzona, no sul da Suíça, nesta sexta-feira (8). Os dois sempre negaram as acusações contra eles.

Os promotores acusaram Blatter e Platini de providenciar ilegalmente pagamentos da Fifa ao francês na ordem de dois milhões de francos suíços (cerca de R$ 11 milhões) em 2011.

O pagamento foi descoberto após uma investigação feita pelo Departamento de Justiça dos Estados Unidos sobre suborno, fraude e lavagem de dinheiro na Fifa em 2015, que desencadeou a renúncia de Blatter.

O promotor suíço Thomas Hildbrand pediu uma pena de suspensão de 20 meses para Blatter e Platini. Em junho de 2015, Blatter anunciou seu plano de renunciar mais cedo como presidente da entidade, como consequência da investigação de corrupção. Menos de quatro meses depois, um caso separado de promotores suíços levou à investigação do pagamento de Platini. As consequências removeram Blatter do cargo, e deu fim ao plano de Platini assumir a entidade.

Ambos foram banidos do futebol por oito anos devido às denúncias, embora suas proibições tenham sido reduzidas posteriormente.

“Após a decisão dos juízes do Tribunal de Bellinzona, esta manhã, queria expressar minha felicidade para todos os meus entes queridos que a Justiça finalmente foi feita após sete anos de mentiras e manipulação. A verdade veio à tona durante este julgamento”, destacou Platini em um comunicado.

Joseph Blatter entrou na FIFA em 1975, tornou-se secretário-geral em 1981 e presidente em 1998. Já Platini ganhou a Bola de Ouro, o prémio individual de maior prestígio, em três ocasiões: 1983, 1984 e 1985.

Compartilhe