O protagonismo da mulher no futebol inglês

Seleção é campeã da Euro Feminina e executivas comandam as duas principais entidades da modalidade no país

agosto 1, 2022
Eduardo Esteves

Fundador do MKTEsportivo

Em um Wembley com 87.192 pessoas, recorde de público em uma competição internacional da UEFA, a Inglaterra venceu a Alemanha por 2 a 1, na prorrogação, e sagrou-se campeã da Eurocopa Feminina 2022. Este foi o primeiro título europeu das inglesas em três participações.

Além de ter sido o primeiro grande título das inglesas, vencer a Euro Feminina colocou fim em um longo jejum da Inglaterra na modalidade, que não era campeã desde a Copa do Mundo masculina de 1966, contra a Alemanha.

O protagonismo feminino na Inglaterra não ocorre somente dentro de campo. Fora dele, a modalidade conquista cada vez mais espaço e se fortalece a partir de um comando cada vez mais feminino.

Desde 2021, e após 157 anos de história, a Federação de Futebol da Inglaterra (FA) passou a ser comandada por uma mulher. Debbie Hewitt foi diretora executiva da RAC e presidente não-executiva da Visa Europa. Sua contratação mostrou o foco da entidade em ter uma abordagem mais voltada para negócios, muito em função de um prejuízo estimado em £ 300 milhões até 2024 por conta da pandemia, bem como a demissão de 124 funcionários no período.

A FA, que foi formada em 1863 e trabalha para se tornar mais inclusiva, lançou em 2018 a iniciativa “Em Busca do Progresso”, com objetivo de aumentar a diversidade entre as pessoas que jogam, organizam, treinam, lideram e governam o futebol inglês.

Já a partir de 2023, Alison Brittain será a primeira mulher a presidir a Premier League. A executiva, que recebeu aprovação unânime dos clubes, assumirá o lugar do presidente interino Peter McCornick a partir de 2023. McCornick entrou no lugar de Gary Hoffman, que renunciou após a aquisição do Newcastle pelo Fundo de Investimento Público da Arábia Saudita.

CEO da Whitbread PLC, multinacional britânica de hotéis e restaurantes, Brittain já ocupou vários cargos seniores no setor bancário, sendo diretora da divisão de varejo do Lloyds Banking Group e diretora do conselho do Santander do Reino Unido.