Yaras apresenta uniforme para a Copa do Mundo de Rugby Sevens

Jogadoras ajudaram na criação para reforçar a identidade da seleção e seu compromisso com a diversidade cultural do país

agosto 1, 2022

A estreia da Seleção Brasileira Feminina na Copa do Mundo de Rugby Sevens, no dia 9 de setembro, contra a Irlanda, terá um ingrediente a mais: o uniforme exclusivo para a competição que as jogadoras brasileiras ajudaram a criar para reforçar a identidade da seleção e seu compromisso com a diversidade cultural do país.

A Confederação Brasileira de Rugby (CBRu) colocou o primeiro lote da nova camisa das Yaras para pré-venda, que poderá ser realizada até o dia 5 de agosto.

Em maio de 2021, as Yaras lançaram sua nova identidade com uma mulher indígena no escudo para enaltecer tanto a tradição da cultura indígena quanto o espírito guerreiro das mulheres. A partir desse marco, a geração atual das Yaras cada vez mais se debruça sobre os temas que dizem respeito à equidade de gênero, o empoderamento feminino no esporte e a defesa das várias etnias e culturas que coexistem em nosso território.

Para traduzir este pensamento coletivo em constante transformação, as Yaras foram buscar o parceiro que as ajudou a criar a nova identidade no ano passado, o designer paulista e também jogador de rugby Liam Piacente. Ele conta como o grupo se inspirou nos feitos das jogadoras do passado e nas referências da nova geração.

“As jogadoras me procuraram para transpor as ideias delas, para criar um uniforme que refletisse o que elas entendem como identidade brasileira. Cores, fauna, flora, marcos, felicidades e um pouquinho do que cada uma das Yaras traz de cada pedaço do Brasil. Mesmo sendo difícil misturar isso tudo, foi usado um estilo simplista de pintura a mão. Como se cada uma delas pudesse ter desenhado aquelas linhas e formas”, disse o designer Liam Piacente, parceiro da seleção brasileira em outras criações.

“Foi importante para todo o grupo participar desse processo. Criar algo que identificasse que são as Yaras representando a diversidade cultural do Brasil. Buscamos colocar traços que fizessem sentido para cada uma de nós que fez e faz parte dessa bela história que é o rugby feminino brasileiro. Estamos orgulhosas de vestir a camisa da seleção, de poder participar da construção deste legado para o esporte nacional”, acrescentou Luiza Campos, capitã das Yaras, eleita a Melhor Jogadora do último Sul-americano vencido pela seleção brasileira, o vigésimo do currículo.

Soberanas na América do Sul, com 20 títulos conquistados em duas décadas, as Yaras sempre estiveram presentes na Copa do Mundo de Sevens. Em 2009, em Dubai (Emirados Árabes Unidos), o Brasil acabou na 10ª colocação. Em 2013, em Moscou (Rússia), e em 2018, em São Francisco (Estados Unidos), as Yaras ficaram com a 13ª colocação.

Realizado no Cape Town Stadium, na Cidade do Cabo, o torneio deste ano terá confrontos entre 16 seleções no período de 9 a 11 de setembro. Contra a Irlanda, primeira adversária, as Yaras já realizaram 18 partidas oficiais e obtiveram 6 vitórias. Quem vencer o duelo enfrentará nas quartas de final no dia 10 de setembro a vencedora da partida entre Fiji e Japão. As semifinais e as finais (disputadas de ouro e bronze) ocorrerão no dia 11.