O atleta precisa ser moldado

O nicho tem um potencial gigante, mas, antes disso, é preciso que o atleta se enxergue, se posicione e se venda como produto

setembro 6, 2022
Fábio Wolff

Fábio Wolff é sócio-diretor da Wolff Sports, e professor em cursos de MBA em Gestão e Marketing Esportivo no Ibmec e na Trevisan Escolha de Negócios

Trabalhar com atletas jovens é delicado. Exige tempo, paciência e muita dedicação.

Por se tratar de início de carreira, tudo se apresenta como novidade, então, é preciso acompanhar de perto cada detalhe para auxiliar nas dúvidas e situações que surgem no dia a dia.

Um parceiro de mercado, ao perceber que esses processos estão requisitando muito tempo da agência, me questionou: “no lugar de trabalhar com jovens talentos, não seria mais produtivo focar em atletas consagrados da Seleção Brasileira, por exemplo?”

A resposta seria sim, se vários desses atletas não possuíssem vícios de mercado, ou seja, situações que deveriam ter sido corrigidas quando eram jovens, às quais, nesse ponto da carreira, ficam mais difíceis de serem trabalhadas. Ou até impossíveis. Além disso, para muitos empresários desses atletas, a nossa presença se constitui em uma ameaça.

O nicho de mercado tem um potencial gigante, mas, antes disso, é preciso que o atleta se enxergue como produto, se posicione como um produto e se venda como um produto.

Voltando aos jovens atletas, recentemente a Apple entrou em contato conosco com o objetivo de enviar uma caixa de produtos ao Endrick.

Uma vez recebida a caixa, levei pessoalmente para ele, após o segundo jogo do Palmeiras contra o Vasco pelo Campeonato Brasileiro Sub-20. Poderia ter enviado o presente por um portador, mas o objetivo teve um cunho educacional. Afinal, era uma das marcas mais desejadas do mundo oferecendo produtos por julgar que o Endrick é uma personalidade importante para a marca, e, o principal, nada pedia em troca…

Muitas empresas têm se aproximado com o intuito de oferecer produtos para seduzir o Endrick. Desde o início do nosso trabalho temos orientado o atleta sobre os riscos de cair em determinadas armadilhas.

Afinal, o nosso plano estratégico é o de posicionar Endrick como um benchmark ao mercado, para tanto, estamos trabalhando com um plano constituído de poucas empresas, players do mercado, e que possuam um storytelling orgânico com o atleta.

Importante lembrar que são fundamentais para o desenvolvimento adequado desses jovens talentos as pessoas que rodeiam os atletas, ter uma família bem estruturada, com seus valores e também a escolarização.

A dedicação é grande e, eventualmente, muitos desses projetos com os jovens atletas podem não trazer o retorno financeiro esperado, pois dependem de diferentes fatores, mas independente de qualquer circunstância, eles devem começar a ser moldados desde jovens. Somente assim terão maiores probabilidades de se tornarem, de fato, produtos desejados.

Foto: flash’line