Indústria

R$ 1 bilhão por 90%: a proposta do City Football Group para adquirir o Bahia

CFG e o clube confirmaram que a identidade, as cores e o hino do Esquadrão não mudarão quando o negócio for concretizado

R$ 1 bilhão por 90%: a proposta do City Football Group para adquirir o Bahia

24 de setembro de 2022

2 minutos de Leitura

O Esporte Clube Bahia e o City Football Group confirmaram nesta noite que o CFG apresentou uma proposta de R$ 1 bilhão para adquirir 90% do clube, com os 10% restantes permanecendo com a Associação do Esquadrão de Aço.

O montante será dividido em: R$ 500 milhões para a contratação de jogadores, R$ 300 milhões para pagar as dívidas, enquanto R$ 200 milhões serão voltados para infraestrutura, categorias de base e capital de giro.

Importante destacar que CFG e Bahia também confirmaram que a identidade, as cores e o hino do Esquadrão não mudarão.

Guilherme Bellintani, presidente do Bahia, e Ferran Soriano, Diretor Executivo do City Football Group, reuniram-se com os conselheiros tricolores para apresentar as propostas de investimento.

Após as apresentações de hoje, o Conselho enviará parecer em até dois meses aos sócios do clube para que eles possam votar a proposta numa Assembleia Geral.

Se a proposta for aprovada pelos órgãos competentes de governança do Esquadrão, o veículo de investimento será uma Sociedade Anônima de Futebol (SAF) a ser incorporada pelo Bahia, com o City Football Group posteriormente se juntando como acionista em busca do desenvolvimento de uma estratégia de longo prazo para o Bahia.

As prioridades incluem o fortalecimento do desempenho das equipes masculina e feminina, e o sistema de categoria de base em todos os níveis e idades, “visando o objetivo de jogar um futebol de primeira linha na Série A do Campeonato Brasileiro e em competições continentais”.

Garantir sustentabilidade financeira, melhorar o clube e sua infraestrutura, atender aos torcedores e programas sociais de apoio à comunidade local, foram alguns dos compromissos já assumidos pelo CFG.

Caso tenha a aprovação de seus sócios, o Bahia seguirá um modelo de negócio já ativado por Botafogo, Cruzeiro e Vasco.

Além disso, o Bahia se tornaria o primeiro brasileiro da família global do City Football. Em seu portfólio, o CFG conta com o Manchester City (Inglaterra), Palermo (Itália), Girona (Espanha), New York City (Estados Unidos), Melbourne City (Austrália), Mumbai City (Índia), Lommel (Bélgica), Troyes (França), Montevideo City Torque (Uruguai), Yokohama Marinos (Japão) e Sichuan Jiuniu (China).

Compartilhe