Redes Sociais

LeBron James pede ação contra discurso de ódio após a aquisição do Twitter por Elon Musk

Estudo apontou que desde a aquisição por parte do empresário o uso de um termo racista aumentou em 500% na rede social

LeBron James pede ação contra discurso de ódio após a aquisição do Twitter por Elon Musk

31 de outubro de 2022

2 minutos de Leitura

LeBron James se posicionou fortemente após uma matéria do Washington Post revelar que, desde que o Twitter foi adquirido por Elon Musk, o uso de um termo racista aumentou em 500%.

O astro do Los Angeles Lakers utilizou seu perfil com mais de 52 milhões de seguidores rede social para compartilhar a matéria e cobrar punições.

“Eu não conheço o Elon Musk e, para ser honesto, pouco me importa quem é o dono do Twitter. Mas eu vou dizer que se isso for verdade, eu espero que ele e sua equipe levem isso muito a sério porque é extremamente assustador. Tantas pessoas descompensadas dizendo que discurso de ódio é liberdade de expressão”, divulgou ‘King’ James.

Após seis meses de idas e vindas nas negociações, o empresário oficializou recentemente a compra do Twitter por US$ 44 bilhões. Apoiado por Jack Dorsey, fundador da empresa, Musk pretende fechar o capital da companhia, e alterar as diretrizes sobe as postagens dos usuários na rede. E isso causa muita preocupação no mercado.

“A razão pela qual eu adquiri o Twitter é porque é importante para o futuro da civilização ter uma ‘praça comum digital’, onde uma ampla gama de crenças pode ser debatida de forma saudável, sem recorrer à violência”, disse o bilionário na ocasião que anunciou a compra.

De imediato, o novo proprietário demitiu os principais executivos da empresa: Parag Agrawal, presidente executivo, Ned Segal, chefe financeiro, e Vijaya Gadde, chefe do Departamento Jurídico, de Políticas e Confiabilidade.

Compartilhe