Mídia

Por valores mais altos, Fifa rejeita propostas de grupos de mídia pela Copa do Mundo Feminina

Entre as ofertas recusadas estão de emissoras da Alemanha, Reino Unido e França

Por valores mais altos, Fifa rejeita propostas de grupos de mídia pela Copa do Mundo Feminina

22 de outubro de 2022

2 minutos de Leitura

A FIFA deseja valorizar a Copa do Mundo Feminina de Futebol e tem rejeitado diversas negociações pelos direitos de transmissão do torneio, que será realizada no ano que vem. A entidade rejeitou as propostas pois acredita que os valores foram muito baixos.

“Este não é um caso de ser precificado, mas sim uma prova da falta de vontade das emissoras de pagar o que o jogo feminino merece. Os números da audiência mostram que a Copa do Mundo Feminina de 2019, na França, foi um catalisador para a mudança em termos de audiência de TV”, disse Romy Gai, representante da Fifa, em entrevista concedida à Bloomberg.

Entre as ofertas recusadas estão de emissoras da Alemanha, Reino Unido e França.

A Fifa embasa o valor que deseja com base no sucesso da Copa do Mundo Feminina de 2019, realizada na França.

“Um combinado de 1,12 bilhão de espectadores estiveram sintonizados na cobertura oficial da transmissão em todas as plataformas da final entre Estados Unidos e Holanda, que se tornou a partida mais assistida da Copa do Mundo Feminina da Fifa de todos os tempos”, acrescentou o executivo.

A próxima Copa do Mundo Feminina terá como sedes Austrália e Nova Zelândia, e 32 seleções. Desta maneira, a FIFA deseja aumentar o faturamento do torneio, e isso passa pelo incremento dos valores relacionados aos direitos de TV.

“Sabemos que a oportunidade para o futebol feminino está lá. Agora, juntos, precisamos capturá-la”, finalizou Gai.

Compartilhe