Copa do Mundo 2022

Com ameaça de punição da Fifa, seleções desistem de braçadeira em apoio à comunidade LGBTQIAP+

Inglaterra, País de Gales, Bélgica, Holanda, Suíça, Alemanha e Dinamarca utilizariam adereço

Com ameaça de punição da Fifa, seleções desistem de braçadeira em apoio à comunidade LGBTQIAP+

21 de novembro de 2022

2 minutos de Leitura

A Fifa ameaçou punir as sete seleções europeias que planejavam usar a braçadeira de capitão com a inscrição “One Love”, em apoio à comunidade LGBTQIAP+.

Desta maneira, em comunicado conjunto, Inglaterra, País de Gales, Bélgica, Holanda, Suíça, Alemanha e Dinamarca anunciaram desistência porque não querem que os capitães de suas seleções iniciem as partidas com cartão amarelo, promessa feita pela entidade a quem desrespeitar a norma. Haveria também uma punição financeira.

“A Fifa tem deixado muito claro que imporá sanções esportivas se nossos capitães usarem as braçadeiras no campo de jogo. Como federações nacionais, não podemos colocar nossos jogadores em uma posição em que possam enfrentar sanções esportivas, incluindo cartões amarelos, por isso pedimos aos capitães que não tentem usar as braçadeiras nos jogos da Copa do Mundo”, afirmaram as seleções, em comunicado.

Assim, todas as sete seleções usarão as mesmas braçadeiras que as outras 25 seleções presentes no torneio, carregando a hashtag “#NoDiscrimination”.

“Estamos muito frustrados com a decisão da Fifa, que acreditamos ser sem precedentes – escrevemos à Fifa em setembro informando sobre nosso desejo de usar a braçadeira ‘One Love’ para apoiar ativamente a inclusão no futebol, e não tivemos resposta. Nossos jogadores e treinadores estão desapontados – eles são fortes defensores da inclusão e mostrarão apoio de outras maneiras”, completa o comunicado.

Compartilhe