Indústria

Ubisoft e Riot Games anunciam o projeto para detectar conteúdo prejudicial nos chats dos jogos

Essa é primeira iniciativa de pesquisa interprofissional que combaterá comportamentos prejudiciais, conduzida pelas empresas

Ubisoft e Riot Games anunciam o projeto para detectar conteúdo prejudicial nos chats dos jogos

19 de novembro de 2022

3 minutos de Leitura

A Ubisoft e a Riot Games anunciaram o projeto de pesquisa “Zero Harm in Comms”, uma parceria tecnológica que aprimorará o alcance de soluções de inteligência artificial, visando evitar interações prejudicais entre jogadores.

A iniciativa da pesquisa tem como objetivo criar uma base de dados compartilhada entre a indústria e dividir os ecossistemas que recolhem dados de jogos, treinando melhor as ferramentas de moderação preventiva com inteligência artificial para detectar e mitigar comportamentos prejudiciais.

Sendo participantes ativas da Fair Play Alliance, a Ubisoft e a Riot Games acreditam fielmente que a criação de experiências online seguras e significativas nos jogos só será possível por meio de ações coletivas e compartilhamento de conhecimento. Sendo assim, essa iniciativa é uma continuação da grande jornada dessas duas empresas em construir estruturas de jogo que promovam experiências sociais mais gratificantes e evitem interações prejudiciais.

“Comportamentos prejudiciais são um problema sério para nós, mas essa também é uma questão difícil de ser resolvida. Na Ubisoft, temos trabalhado em medidas concretas para garantir experiências seguras e divertidas, mas acreditamos que, com uma união da indústria de jogos, seremos mais capazes de abordar esse problema”, disse Yves Jacquier, Diretor Executivo da Ubisoft La Forge.

Por meio do projeto “Zero Harm in Comms”, a Ubisoft e a Riot Games estão explorando maneiras de sedimentar as bases tecnológicas para futuras colaborações da indústria, além de criar uma rede que garante a ética e privacidade dessa iniciativa. Graças aos jogos altamente competitivos da Riot Games e ao portfólio diversificado da Ubisoft, a base de dados criada pela colaboração deve abranger todo tipo de jogador e comportamento para melhor treinar as inteligências artificiais das nossas empresas.

“O comportamento inadequado não é um problema exclusivo dos jogos. Toda empresa com uma plataforma social online está trabalhando para lidar com esse espaço tão desafiador. É por isso que estamos comprometidos em trabalhar com parceiros da indústria, como a Ubisoft, que acreditam ser possível criar comunidades seguras e incentivar experiências positivas em espaços virtuais”, acrescentou Wesley Kerr, Líder de Pesquisa Tecnológica da Riot Games.

Ainda em fase inicial, o “Zero Harm in Comms” é o primeiro passo de um ambicioso projeto interprofissional que visa beneficiar toda a comunidade de jogadores futuramente. Como parte da primeira exploração da pesquisa, a Ubisoft e a Riot estão comprometidas a compartilhar os aprendizados da fase inicial desse experimento com toda a indústria em 2023, independentemente do resultado.

Compartilhe