Indústria

World Footvolley divulga inédito levantamento sobre o interesse por futevôlei no Brasil

Estudo ratifica a expansão da modalidade, que hoje já atrai cerca de 500 mil praticantes em mais de 1 mil arenas pelo país

World Footvolley divulga inédito levantamento sobre o interesse por futevôlei no Brasil

21 de dezembro de 2022

2 minutos de Leitura

A World Footvolley, em parceria com o IBOPE Repucom, lançou um inédito levantamento sobre o perfil dos interessados por futevôlei no Brasil e fortalece o potencial da modalidade entre os fãs de esportes no País.

Segundo dados da onda mais recente da pesquisa Sponsorlink do IBOPE Repucom, em um universo de mais de 110 milhões brasileiros conectados com 18 anos ou mais, 44% se declaram fãs de futevôlei (interessados ou muito interessados), o que representa cerca de 50 milhões de pessoas.

O resultado confirma a expansão da modalidade, que hoje já atrai cerca de 500 mil praticantes em mais de 1.000 arenas pelo Brasil. Com maior exposição na TV e redes sociais, o futevôlei vive sua fase de maior crescimento em mais de 50 anos de existência. Em 2022, foram cerca de 10 eventos televisionados e uma média de 100 competições amadoras por mês, em diferentes estados brasileiros.

“É um prazer poder contribuir com a evolução do futevôlei, desta vez, divulgando dados que fortalecem o potencial da modalidade. O aumento em popularidade fará com que o mercado passe a tratar bons projetos no futevôlei como ferramentas de conexão com consumidores.” disse Luiz Gomes, sócio fundador da World Footvolley.

A igualdade de gêneros foi um dos grandes destaques da pesquisa, com 50% do total de fãs sendo representado pelo público feminino. Na faixa etária, 62% dos interessados têm entre 18 e 39 anos, o que destaca o jovem perfil demográfico da modalidade. Já na categoria “renda mensal”, 28% do público que se declarou fã do futevôlei recebe pelo menos R$ 5 mil reais por mês.

“Ficamos surpresos positivamente com os resultados do futevôlei. Sabemos que a modalidade tem se popularizado nos últimos anos e, pela primeira vez, podemos dimensionar seu crescimento. Esperamos que esses dados contribuam no desenvolvimento do futevôlei como produto e oportunidade comercial”; finalizou Arthur Bernardo Neto, Diretor de Desenvolvimento de Negócios no IBOPE Repucom.

Compartilhe