Chegada de reforços ao Chelsea fará UEFA mudar regulamento

Após clube fechar contratos de até oito anos com contratados, entidade anunciou que estabelecerá um prazo máximo de cinco

janeiro 24, 2023

A UEFA dará fim à uma brecha utilizada pelo Chelsea para conseguir contratar jogadores por um período de contrato maior do que o estabelecido pela FIFA.

Os Blues contrataram seis jogadores este mês. Foram eles: David Datro Fofana, Andrey Santos, Benoit Badiashile, Mykhailo Mudryk e Noni Madueke. Além deles, João Félix chegou por empréstimo vindo do Atlético de Madrid.

Mudryk, por exemplo, assinou o contrato mais longo da história do futebol inglês: oito anos e meio. No entanto, isso deve mudar em breve.

A UEFA anunciou que estabelecerá um prazo máximo de cinco anos para uma transferência. A nova política deve ser introduzida antes da janela de transferências de verão. Os regulamentos da FIFA estabelecem que os contratos devem ter no máximo cinco anos, a menos que a lei de um país diga que podem ser mais longos. Atualmente, não há restrições no Reino Unido.

Datro Fofana e Badiashile fecharam contratos de sete anos e meio e seis anos e meio, respectivamente. Já Wesley Fofana, que chegou do Leicester City, acertou por sete anos.