Grêmio admite déficit milionário e interesse em nova liga brasileira

Criação de nova liga poderia trazer um alívio financeiro de R$100 milhões

janeiro 25, 2023

Apesar da recente contratação milionária de Luís Suarez, o presidente do Grêmio, Alberto Guerra admitiu, em entrevista ao canal do YouTube do jornalista Léo Müller, que o clube gaúcho vive um déficit financeiro de cerca de R$ 90 milhões.

FILA contrata ex-Adidas como presidente
Chegada de reforços ao Chelsea fará UEFA mudar regulamento

Conforme revelado pelo jornalista, algumas estratégias já estão sendo preparadas pelo tricolor, uma delas seria o acerto com um novo patrocínio máster, que pagaria cinco vezes mais o valor pago atualmente. Outra delas seria a venda de jogadores promissores.

“O problema é que neste momento o Grêmio está numa crise. O Grêmio hoje está num déficit na casa de 80, 90 milhões negativos”, comentou o jornalista.

Siga o MKTESPORTIVO no InstagramTwitter Facebook!

Criação de nova Liga brasileira

Ainda comentando a parte financeira do clube gaúcho, o jornalista revelou que o presidente do clube afirmou que pode receber um adiantamento de luvas de até R$ 100 milhões caso a nova liga do futebol brasileiro seja aprovada pelos clubes:

“Outro cenário positivo para o Grêmio, a LIBRA, nova liga do futebol brasileiro, deve fechar este ano para o ano de 2024. Fechando este ano, vêm luvas, que é a antecipação pelo fechamento do contrato […] Um grupo estrangeiro viria, compraria os direitos do futebol brasileiro e iria comercializar os direitos de TV, daí os clubes ganhariam mais”, comentou.

Apesar de confirmar o possível fechamento dos clubes brasileiros com a nova liga, nada oficial foi divulgado pelas equipes. Sabe-se que desde maio de 2022 um grupo de 18 equipes são a favor da criação de um novo campeonato brasileiro, com uma empresa gerindo as séries A e B, ao invés da CBF, como acontece atualmente.

No entanto, outro grupo, este com 26 equipes, defende a criação da LFF, Liga Forte Futebol do Brasil. Alguns detalhes mudam de um grupo para outro, mas em ambos os casos os ganhos das equipes podem aumentar em até 40%. Existe a previsão que os detalhes sejam resolvidos em 2023. Alguns fundos de investimentos ligados ao futebol já demonstraram interesse nos dois modelos.