Javier Tebas retira LaLiga da Associação Europeia de Clubes

Presidente alegou que a associação é mal organizada e não se leva a sério

março 16, 2023

O presidente da LaLiga, Javier Tebas retirou a organização da Associação Europeia de Clubes após declarações onde afirma que os membros não estão dispostos a lutar pelo futebol europeu.

“A associação não tem influência porque não leva a sério”, disparou.

+ Douglas ‘Ninja’ Viegas é o novo embaixador da Overclock
+ Fluminense apresenta Marcelo com festa e ações no Maracanã

O representante máximo do campeonato espanhol também argumentou que os presidentes das demais ligas e equipes do Velho Continente não fizeram nenhum movimento contra o presidente do PSG e da associação, Al Khelaïfi, e demais clubes quando estes romperam o teto de gastos ou cometeram deslizes fiscais.

“Não fizeram nada para lutar contra Nasser Al Khelaïfi e os clubes estatais (referindo-se aos clubes ligados a países ou investidores estatais), nem contra os abusos da Premier League, nem contra a Superliga”, argumentou.

Além de falar sobre os clubes, Javier Tebas também criticou a ausência dos representantes de importantes ligas da Europa, como a Bundesliga e Serie A italiana em reuniões importantes do conselho.

Siga o MKTESPORTIVO no InstagramTwitter Facebook!

“Nos dez anos que estou com eles devo ter participado de quarenta reuniões e o único CEO que não faltou fui eu. […] O presidente da Premier League nunca veio e somando as vezes que os líderes das ligas francesa, italiana e da Bundesliga vieram, não somam mais de oito vezes”, comentou.

A Associação Europeia de Clubes (ECA), atualmente presidida por Nasser Al-Khelaïfi, também presidente do PSG, foi fundada em 2008 por proposta das principais seleções europeias de futebol que queriam unir forças para garantir seus interesses contra a Uefa e a Fifa. Hoje, reúne 220 entidades desportivas de 53 países europeus.

Na última temporada, a organização distribuiu € 1.6 bilhão entre os clubes, menos 2,4% do que em 2020-2021. Os gastos com pessoal foram de € 47.5 milhões, incremento de 17% em relação a temporada anterior.

Compartilhe: