Indústria

CEO da Serie A, da Itália, quer união dos clubes para formação de liga brasileira

Luigi De Siervo defende que direitos crescem em valor quando a venda é feita de maneira centralizada

CEO da Serie A, da Itália, quer união dos clubes para formação de liga brasileira
Foto: Flashscore

25 de abril de 2023

2 minutos de Leitura

Marcando presença no Brasil, o CEO da Serie A, Luigi De Siervo afirmou que a centralização dos direitos de transmissão é a chave para o avanço econômico e competitivo do futebol brasileiro. Além disso, o executivo destacou que o campeonato italiano tornou-se mais competitivo nos últimos anos.

Atualmente, os direitos de transmissão do torneio são negociados de forma centralizada pelo coletivo de clubes, a Lega Calcio.

“É importante entender que a centralização dos direitos de transmissão é a chave para permitir ao futebol brasileiro ter mais recursos econômicos, não só no Brasil, mas no exterior”, disse De Siervo.

Ciente da separação de blocos entre os clubes do Brasil, hoje divididos entre 18 times na Liga do Futebol Brasileiro (Libra) e 26 equipes na Liga Forte Futebol (LFF), o executivo prega o entendimento em prol de um resultado positivo.

“O sistema não é complicado. Claro que os presidentes dos clubes têm ideias diferentes. Mas o único jeito é que as discussões sejam sempre bem-vindas, mas que haja o entendimento”, afirmou.

Para ele, foi um erro ter rejeitado a proposta do fundo de investimentos CVC Capital Partners, que em 2020 ofereceu € 1.7 bilhão por uma participação na liga italiana.

“Trabalhamos por nove meses todos os dias em um acordo que fosse interessante para os clubes, que no final decidiram não assinar. Isso não me fez mudar de ideia. Acredito que a chegada dos fundos ajudará na profissionalização e será um ponto-chave para o sucesso das grandes ligas. Para grandes países como o Brasil, minha principal dica é que essa decisão [de aderir a um fundo de investimentos] possa ser tomada rapidamente. Todos nós gostaríamos de ver mais do futebol brasileiro na Europa”, analisou.

De Siervo ainda apontou que a participação de fundos de investimentos podem trazer uma profissionalização na gestão do futebol e resultar nos sucesso das ligas.

“O futebol italiano voltou, nosso público de hoje é a geração Z e para isso investimos em inovação, tivemos capacidade de investir e tornar o produto televisivo mais atrativo”, acrescentou o executivo.

O resultado disso, segundo De Siervo, foi a volta do protagonismo dos times italianos nas principais competições europeias. Na Liga dos Campeões da UEFA, a Itália está representada em um dos duelos da semifinal, que será Milan x Inter de Milão.

Compartilhe