Patrocínio

Patrocinador do Corinthians se posiciona após contratação de Cuca

Banco Bmg utilizou suas redes sociais para afirmar que "respeita, preza e luta pela igualdade das mulheres"

Patrocinador do Corinthians se posiciona após contratação de Cuca

21 de abril de 2023

3 minutos de Leitura

O Banco Bmg, patrocinador do Corinthians desde 2019, se manifestou nas redes sociais após o clube anunciar a contratação do técnico Cuca. O banco destacou que “respeita, preza e luta pela igualdade das mulheres”.

“O Banco Bmg reitera que não compactua com atos violentos e, acima de tudo, respeita, preza e luta pela igualdade das mulheres”, publicou o Bmg

Cuca é acusado por estupro de vulnerável e a condenação por atentado ao pudor com uso de violência, quando ainda era jogador do Grêmio, em 1987, quando o clube gaúcho excursionou pela Europa. O caso ligado a Cuca aconteceu na Suíça, quando uma jovem de 13 anos, denunciou ter sido estuprada em um hotel no qual a delegação estava hospedada. Além de Cuca, outros três jogadores do Grêmio também estavam envolvidos.

O treinador foi condenado a 15 meses de prisão por atentado ao pudor, mas nunca cumpriu a pena, que expirou em 2004, já que o Brasil não extradita seus cidadãos e não tinha um acordo de cooperação com as autoridades suíças.

Até aqui, o Bmg foi o único patrocinador a se posicionar em relação à chegada de Cuca ao Corinthians.

Forte investimento no futebol feminino

Vale lembrar que o Banco Bmg é uma das empresas que mais investe no futebol feminino. Recentemente, o banco anunciou que irá lançar um cartão para pagamentos personalizado para a modalidade.

A importância do esporte feminino foi destaque na recente entrevista que o MKTEsportivo fez com  Cauê Ribeiro, Superintendente de Marketing e Negócios Esportivos no Banco Bmg.

Hoje, a instituição financeira patrocina tanto as equipes masculinas quanto as femininas do Corinthians, do Atlético Mineiro, do Vasco e do Ceará.

Torcidas se posicionaram contra contratação

Várias torcedoras destacaram a campanha ‘Respeita as Minas’, que lembrou que a maioria da torcida do Corinthians (53%) é formada por mulheres, segundo pesquisa do Ibope Repucom. A ação também detalhou maneiras de denunciar a violência contra a mulher.

A torcida Pavilhão 9 foi uma das que se manifestaram contra Cuca.

“Um clube com a história do Corinthians, não pode aceitar uma contratação dessa é rasgar toda nossa luta. Direção, por acaso vocês já se esqueceram do escândalo de Berna?”, questionou a organizada em sua conta no Instagram.

O Movimento Toda Poderosa Corinthiana pregou um boicote à Nike, fornecedora de material esportivo do Corinthians.

“Se é marketing para venda, saiba que não mais consumiremos artigos de uma campanha falida, mentirosa e hipócrita. O mundo do futebol está condenando estupradores e justamente o Corinthians, por causa de uma gestão INCOMPETENTE, segue na contramão da vanguarda progressista”, afirmou o grupo de torcedoras, citando em seguida o perfil da empresa de material esportivo.

Compartilhe