Indústria

Curta sobre a ex-árbitra Lea Campos ganha Leão de Ouro em Cannes

Material, criado pela Ogilvy Brasil, conta a história da ex-árbitra impedida de apitar jogos pelo fato de ser mulher e menstruar

Curta sobre a ex-árbitra Lea Campos ganha Leão de Ouro em Cannes

28 de junho de 2023

3 minutos de Leitura

Durante a premiação da 70ª edição do Festival de Criatividade de Cannes, o mais importante prêmio da publicidade mundial, realizado na França, Intimus, marca de cuidados femininos da Kimberly-Clark, ganhou o Leão de Ouro, na categoria Entertainment for Sport, com o curta-metragem “Lea”.

O curta, criado pela Ogilvy Brasil, conta a história da ex-árbitra de futebol, Lea Campos, impedida de apitar jogos pelo fato de ser mulher e menstruar.

O filme de 3 minutos, com direção de cena de Olívia Lang e produção da Moon Heist, mostra a luta da brasileira Lea, em 1967, para se tornar uma das primeiras árbitras do mundo, quando o futebol ainda era visto como um esporte apenas para homens. Por meio da representação de um diálogo entre a protagonista e os dirigentes esportivos da época, o curta-metragem retrata o cotidiano de estigma e preconceito que ela teve de enfrentar para anos depois, realizar seu sonho de apitar jogos de futebol e inspirar outras mulheres.

“É uma grande satisfação ganhar o Leão de Ouro na premiação mais importante do mercado cinematográfico do mundo com um case tão emblemático quanto este que retrata a trajetória da Lea Campos de superação e questionamento ao estigma da menstruação e que segue o propósito da marca de incentivar o progresso feminino, reforçando que lugar de mulher é onde ela quiser. Estamos muito orgulhosos dessa conquista! Que a história da Lea continue incentivando outras meninas e mulheres a buscarem seus sonhos”, disse Ronaldo Art, CMO da Kimberly-Clark para o Brasil.

A ex-árbitra, Lea Campos, foi impedida de apitar partidas de futebol, sendo, à época, questionada por dirigentes como faria para atuar quando estivesse no período menstrual. Anos depois, ela finalmente conseguiu apitar jogos de grande importância no mundo e abriu portas para que outras árbitras conquistassem os sonhos delas, mostrando que, menstruadas ou não, todas as mulheres podem realizar o que desejarem.

“É um orgulho para nós, da Ogilvy, receber esse Leão de Ouro com o case da Lea. Um filme essencial para as futuras gerações, que ficará registrado com maestria na história do futebol. A Lea foi pioneira em muita coisa, não só na profissão que escolheu lutar, ela quebrou paradigmas dentro e fora do campo, inspirou outras figuras femininas a entrarem nessa profissão e deixou registrado que o esporte não deve impor padrões. O case Lea é único, é gratificante para nós, como comunicadores compartilhar tudo isso com as pessoas”, acrescentou Sergio Mugnaini, Chief Creative Officer da Ogilvy Brasil.

“Nenhuma mulher deve ser impedida de fazer algo por ser mulher ou menstruar. E Lea Campos superou todos os estigmas, abrindo portas para que outras mulheres apitassem jogos importantes, como vemos hoje. Ela inspirou e incentivou ainda mais mulheres do mundo inteiro a não desistirem dos seus sonhos. Por isso, contar essa história e ainda ganhar esse Leão de Ouro é uma conquista para nós”, finalizou Marisa Cazassa, gerente executiva de marketing da Kimberly-Clark no Brasil.

Além do curta-metragem Lea, a Kimberly-Clark, com a marca Kotex, como Intimus é conhecida fora do Brasil, também foi premiada na categoria Public Relations, na qual recebeu o Leão de Bronze pela ação “Vamos Normalizar o Normal”, que se propõe a desmistificar temas que envolvem a menstruação.

Compartilhe