Indústria

Botafogo, Coritiba, Cruzeiro e Vasco oficializam a criação do Grupo União

Bloco detalha suas ideias para formação de liga brasileira de futebol a partir de 2025

Botafogo, Coritiba, Cruzeiro e Vasco oficializam a criação do Grupo União

07 de julho de 2023

3 minutos de Leitura

Botafogo, Coritiba, Cruzeiro e Vasco anunciaram a formação do Grupo União após assinarem contrato com a Serengeti Asset Management e a Life Capital Partners (LCP) um contrato de 20% de venda dos direitos comerciais e de mídia dos clubes por um período de 50 anos.

O nome já foi divulgado no momento da assinatura do contrato com os times. Isso porque o consórcio Serengeti/LCP já havia chamado esses times como Grupo União.

Naturalmente, ele não está vinculado à Liga do Futebol Brasileiro (Libra) e nem à Liga Forte Futebol (LFF). Botafogo, Cruzeiro e Vasco fizeram parte da Libra até o mês passado. Já o Coritiba, que está em processo de transisão de sua SAF para a Treecorp Investimentos, integrava a LFF até semana passada.

“Os clubes acreditam na união de todas as equipes da Série A e Série B em uma parceria comum, visando à colaboração sustentável e ao fortalecimento do esporte no país. Descobrimos que se tornou muito mais fácil formar um novo grupo, a partir de uma folha em branco na qual podemos escrever e discutir as regras da nossa nova liga”, destacou o comunicado emitido pelo Grupo União.

Na mesma nota divulgada pelo Grupo União, um trecho destaca que há a possibilidade de outros clubes integrarem esse bloco.

“Convidamos todos os clubes a deixarem de lado as divergências históricas e a trazerem suas melhores ideias para contribuir com esse projeto, em apoio aos princípios de evolução do futebol brasileiro”, sinalizou.

O Grupo União divulgou uma lista de nove princípios que acreditam ser necessário para a formação da liga brasileira. São eles:

  • “A governança da liga deverá ser exclusiva dos clubes, com cada clube sendo representado no Conselho de Administração;
  • A liderança da Media Co será uma colaboração separada entre a liga e o parceiro financeiro estratégico;
  • Será implementado o Fair Play Financeiro, com ajustes para suprir deficiências dos mecanismos amplamente testados na Europa;
  • Serão estabelecidos padrões mínimos para instalações e campos de jogo, visando atingir a paridade com os mais altos padrões do futebol mundial;
  • Haverá gestão direta de árbitros e oficiais de jogo, em colaboração com a CBF, incluindo padrões de educação e responsabilidade;
  • O rebaixamento e a promoção serão limitados a apenas 3 clubes por divisão, seguindo o padrão mundial e proporcionando maior estabilidade ao futebol brasileiro no mercado;
  • Serão buscadas e desenvolvidas tecnologias avançadas para posicionar o Brasil como líder mundial em qualidade de experiência televisiva e eficiência na distribuição global de conteúdo;
  • Serão criadas propriedades comerciais controladas pelos clubes, a serem exploradas individualmente por cada clube, seguindo o padrão europeu;
  • Será realizada a venda de direitos comerciais e de mídia com Valoração de Empresas (valuation, no termo em inglês) apropriado”
Compartilhe