Aposta Esportiva

Justiça derruba liminar que proibia CBF de exibir marcas de concorrentes do Galera.bet

Empresa de apostas acusa entidade de quebrar contrato de exclusividade, por exibir publicidades de Betano, 1xBet e Betnacional nos túneis infláveis e backdrops

Justiça derruba liminar que proibia CBF de exibir marcas de concorrentes do Galera.bet

31 de agosto de 2023

2 minutos de Leitura

Mais um capítulo envolvendo a relação da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) com o Galera.bet. O Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ) decidiu, em votação colegiada, derrubar a liminar solicitada pela empresa de apostas e que proibia a CBF de exibir marcas concorrentes, nas partidas do Brasileirão. As informações foram divulgadas pelo blog Panorama Esportivo, de O Globo.

A briga entre CBF e Galera.bet iniciou em maio, quando a empresa de apostas, que é patrocinadora máster do Brasileirão da Série A, acionou a Justiça, alegando quebra do contrato de exclusividade por parte da confederação.

O Galera.bet entende ser a única empresa do segmento a poder ter publicidade veiculada em propriedades da competição. No entanto, a CBF vendeu esses espaços para outras marcas do setor.

Na terceira rodada do Brasileirão, disputada entre 29 de abril e 1º de maio, era possível notar as presenças da Betnacional e Betano no túnel inflável de acesso ao campo e também nos backdrops de entrevistas. Posteriormente, 1xBet também figurou.

A liminar obtida pelo Galera.bet foi proferida pelo juiz João Marcos Fantinato, da 30ª Vara Cível do Rio de Janeiro. Ela previa multa de R$ 200 mil a R$ 500 mil, por partida da Série A do Brasileirão, caso marcas de concorrentes da empresa fossem exibidas dentro de campo, durante a competição.

Ocorre que no entendimento do desembargador Wilson do Nascimento Reis, da 14ª Câmara Cível do TJ-RJ, que relatou o caso, o contrato do Galera.bet com a CBF não teria previsão de exclusividade. Em seu voto, que foi acompanhado pela maioria dos membros do colegiado, o contrato com a CBF garantiria ao Galera.bet apenas exclusividade em relação ao patrocínio, mas não no que diz respeito à publicidade.

Compartilhe