Campeonatos

O US Open 2023 foi considerado o melhor de todos: como a tecnologia transformou o torneio?

Torneio passou por um make-over digital e inseriu a tecnologia na sua estrutura para melhorar e evoluir

O US Open 2023 foi considerado o melhor de todos: como a tecnologia transformou o torneio?
Reprodução: X/ATP Tour

27 de outubro de 2023

5 minutos de Leitura

O US Open, pertencente ao prestigiado quarteto dos torneios Grand Slam de tênis, adotou a via do futuro e abraçou o alto-tech.

Ao longo dos tempos, esse torneio passou por um make-over digital e inseriu a tecnologia na sua estrutura para melhorar e fazer evoluir o campeonato. Esta absorção de inovações não se limita a modificar a forma como se disputa o jogo, como também refresca as formas de visualizar e perceber o mesmo.

As alterações trouxeram uma melhora expressiva da experiência vivida pelos jogadores, gestores e telespectadores em todo o mundo. À medida que vamos descobrindo estas modificações profundas, observamos que as várias facetas da tecnologia mantêm um papel fundamental no desenho do tênis moderno.

Tecnologia Hawk-Eye

A tecnologia Hawk-Eye revolucionou o US Open, conquistando seu lugar permanente no coração deste esporte. Com a alta precisão dessa tecnologia, podemos observar gráficos 3D em tempo real para demonstrar o percurso feito pela bola e onde ela tocou no solo. Isso tem um impacto notável nos desafios lançados pelos jogadores e nas decisões tomadas pelos árbitros.

Antes da chegada do Hawk-Eye, tanto os jogadores quanto os árbitros tinham que apostar na capacidade humana de julgamento que, embora precisa muitas vezes, podia falhar em diversos momentos. Com o surgimento do Hawk-Eye, esses erros foram eliminados ao proporcionar uma visão límpida e imparcial da trajetória feita pela bola. Como consequência, deu ao jogo um novo patamar de equidade e agilizou a tomada de decisões mais corretas e seguras.

No entanto, a audiência também teve vantagens com a integração desta tecnologia. Repetições instantâneas usando o Hawk-Eye permitem que os telespectadores entendam melhor o esporte e aumentem seu interesse e apreciação dos jogos, melhorando assim sua experiência.

Por outro lado, a tecnologia Hawk-Eye expandiu seu alcance para além das partidas ao entrar nas quadras de treino. Atualmente, os treinadores usam-na durante as sessões de treino para analisar a performance dos jogadores e desenvolver técnicas. O feedback rápido e preciso é uma ferramenta muito valiosa para o treino do tênis, ajudando os jogadores na otimização das suas habilidades e estratégias.

A segurança e a conectividade foram os dois pontos-chave que transformaram a experiência tanto para os jogadores quanto para os espectadores.

Ao discutir a conectividade, é impossível não mencionar como ela mudou o jogo em si. Hoje em dia, com a ajuda da tecnologia moderna, as decisões podem ser tomadas rapidamente e com precisão incrível.  As estatísticas do jogo são atualizadas em tempo real e disponibilizadas instantaneamente para treinadores e espectadores.

Mas isso não é tudo. No meio dessa revolução digital no esporte, há um termo que vem ganhando destaque: in-play. Esse conceito refere-se à capacidade dos fãs interagirem diretamente com o jogo enquanto ele acontece através de plataformas digitais. Isso inclui desde votar no jogador favorito até fazer previsões sobre o resultado do jogo.

Análise de desempenho do jogador

Levando em consideração todos os avanços tecnológicos feitos no tênis, a análise de desempenho do jogador mudou a dinâmica do jogo nos treinamentos, estratégias e desempenhos no US Open. Usando análises sofisticadas, em conjunto com a tecnologia dos sensores de raquetes, os jogadores têm acesso a dados quantificáveis, conseguindo compreender seus pontos fortes e fracos mais eficazmente.

A migração para uma abordagem mais focada nos dados possibilita aos treinadores e atletas aperfeiçoar seus regimes de treino de forma extremamente precisa. Usando tecnologia sensorial, os jogadores conseguem extrair informações como a velocidade do saque, as taxas de rotação da bola e até os padrões do posicionamento dos golpes. Oportunidades para tentar um movimento arriscado ou jogar com mais cautela são definidas por análises meticulosas dos dados.

Além disso, o alcance desses dispositivos ultrapassa o universo dos atletas individuais. Comentaristas e especialistas em análises frequentemente recorrem a esses dados para prever as estratégias e tendências de performance dos jogadores. Isso insere um novo nível de complexidade e profundidade à experiência de acompanhar o US Open. Assim, a inclusão da análise avançada está remodelando o cenário do tênis, um dado por vez.

Inovações em dados e estatísticas

Os progressos nas tecnologias de dados e estatísticas provocaram uma transformação considerável na percepção do US Open. Os primórdios da coleta manual de dados deram lugar a softwares sofisticados e algoritmos avançados, que compreendem todos os aspectos do jogo.

Uma inovação contemporânea é a implementação de tecnologia de análise preditiva nos jogos. Esses sistemas complexos oferecem previsões precisas que antes não eram possíveis.

Atualmente, temos a possibilidade de analisar estratégias prováveis dos jogadores e entender padrões específicos do jogo.

Além disso, a introdução das experiências de Realidade Aumentada (RA) na interpretação de dados fornece aos espectadores a oportunidade de se sentirem mais envolvidos no torneio. Os recursos da RA possibilitam que os espectadores visualizem as estatísticas do jogo em tempo real a partir da perspectiva dos analistas ou mesmo dos próprios jogadores.

Compartilhe