O avanço das escolas de futebol do Boca Juniors no mercado brasileiro

Com a primeira franquia inaugurada na região norte, finalista da Libertadores 2023 vem ampliando sua influência em território brasileiro

novembro 3, 2023

Poucas marcas do cenário sul-americano representam tão bem o futebol do continente como o Boca Juniors. Avançando cada vez mais no cenário internacional, o clube argentino, que fará a final da Libertadores 2023 contra o Fluminense neste sábado (4), vem ampliando seu raio de influência no Brasil com diversas escolas de futebol.

Com a inauguração de mais uma franquia, o clube xeneize lança sua primeira academia na região norte do país. Localizada em Belém, no estado do Pará, a unidade traz o nível de qualidade exigido por toda a rede administrada em solo brasileiro.

Foto: divulgação

Situada na avenida Júlio Cesar no bairro do Sousa, a unidade do Boca Juniors conta com matrículas abertas para as categorias futbaby, futfralda, turmas regulares, sub-17, futebol feminino, treinamento de goleiros e soccer training.

A unidade de Belém conta com o apoio dos colaboradores Clube COAGB T1, Studio Aho Bem Viver, Gráfica Amazônia e da Tvplay.online.

Foto: divulgação

Mercado das escolas de futebol

Em entrevista ao MKTEsportivo, Carlos Julio Pierin, Diretor da Rede de Escolas de Futebol do Boca Juniors, comentou sobre os desafios no mercado de formação de atletas.

“Temos uma grande preocupação com a estrutura, com a localização e com quem irá gerir o negócio. Nosso atual objetivo tem sido qualificar os atuais parceiros, com o intuito de aprimorar o serviço disponibilizado e aumentar o poder de ação dessas unidades no setor que estão estabelecidas”, disse o diretor.

Ciente dos obstáculos do ramo, o profissional destaca a importância dos concorrentes na preparação de mercado consumidor e salienta que antes de uma zona ser aprovada pelo projeto, a evolução de outras escolas no local é levada em consideração.

“A chegada de novas marcas [clubes] tem intensificado a competitividade no nosso ramo, porém sempre faço questão de destacar que o mais importante é termos um mercado. É melhor que tenham escolas de futebol já inseridas, com consumidores ativos, para que possamos atraí-los com nosso trabalho e nossa marca”, acrescentou.

Contando com 10 mil alunos em todas as autorizadas, a rede apresenta uma média de 150 aspirantes por unidade. Demonstrando bons resultados com uma gestão técnica, não seria nenhuma surpresa termos futuramente revelações brasileiras brilhando em La Bombonera.

Compartilhe: