Skate ganhou 20 milhões de fãs desde 2019

Pesquisa do IBOPE Repucom aponta que o país é um dos principais polos da modalidade no mundo

novembro 6, 2023

A 213 Sports, responsável pelo desenvolvimento e promoção da Street League Skateboarding no Brasil, encomendou ao IBOPE Repucom uma pesquisa, no final de 2022, para compreender melhor o perfil dos fãs de skate brasileiros. A análise escutou 2 mil entrevistados online, com uma margem de erro de dois pontos percentuais e taxa de confiança de 95%.

Os dados representam 110,5 milhões de internautas com mais de 18 anos, nas cinco regiões geográficas. A pesquisa apontou que são mais de 47 milhões de fãs da modalidade, o que torna o país um dos principais polos de skate no mundo. São 8,5 milhões de praticantes e esse número segue em uma crescente. 

Os números indicam um crescimento exponencial da modalidade no Brasil, impulsionada pela inserção do skate nos Jogos Olímpicos e a ascensão de novos ídolos brasileiros no esporte.

“O skate brasileiro vive um momento muito parecido com a ascensão do surfe há dez anos. É um esporte que tem aderência histórica no país e que soube aproveitar o bom momento dos atletas nacionais nas principais competições da modalidade para furar a bolha de fãs “core” e nativos, e cativar novas audiências,” comentou Pedro Dau de Mesquita, Co-CEO e Diretor Comercial da 213 Sports.

“O esporte tem como principais valores a inclusão social, igualdade de gênero, companheirismo e a cultura urbana, o que abre espaço para que marcas não endêmicas possam se relacionar com esta audiência”, complementa Pedro. 

Segundo a análise do IBOPE Repucom, o país ganhou 20 milhões de novos fãs da modalidade nos últimos 4 anos, período que compreende a estreia da brasileira Rayssa Leal nas competições internacionais (2019) e a entrada do skate nos Jogos Olímpicos (2021).

Foto: Justin Crawford

“Para que um esporte ganhe projeção e relevância social, ele depende de quatro pilares: um grande ídolo, rivalidade, base de fãs e uma transmissão sólida na mídia”, explica Pedro Mesquita.

“Com a Rayssa Leal conquistando a medalha de Prata nas Olimpíadas de Tóquio e o Título Mundial da SLS no ano passado, todos os ingredientes estavam disponíveis e o skate brasileiro deslanchou. Hoje o Brasil é uma das grandes potências na modalidade, ao lado dos Estados Unidos e Austrália. Nosso país é ainda a segunda maior economia do skate no mundo, movimentando mais de R$ 1 bilhão anualmente”, completa. 

O perfil do fã de skate brasileiro

A pesquisa do IBOPE Repucom apontou que 74% dos entrevistados têm interesse no skate. São 81,8 milhões de brasileiros, o que equivale aproximadamente à população da Alemanha. Destes, 47,7 milhões se identificam como fãs, um grupo engajado maior do que a população da Espanha. Os “superfãs”, que afirmaram ter muito interesse no skate, representam 17% da população on-line, o que representa 18,8 milhões de brasileiros maiores de 18 anos. 

O estudo traçou ainda um perfil dos fãs brasileiros, seus hábitos de consumo e suas relações com as marcas que patrocinam competições e atletas da modalidade. Entre os entrevistados que se declararam fãs de skate, 52% são homens, na faixa etária dos 18 aos 29 anos (35%) e concentração de renda 18% maior em relação à média da população. 

No que tange a prática de esportes, 88% dos fãs de skate se identificam como adeptos de alguma modalidade, enquanto na população geral a adesão é de 75%. O estudo destaca a afinidade natural de prática de skate, surfe e esportes radicais, que é o dobro entre os fãs de skate em relação ao público geral. Entre os temas de maior interesse deste público estão Cultura Sneakerhead (afinidade 74% maior que a média), Arte Urbana (51%), Streetwear (56%) e Dança de Rua (62% superior à média).

Hábitos de consumo e patrocinadores

Dos 47,7 milhões de brasileiros identificados como fãs da modalidade, 13% têm o hábito de acompanhar as competições presencialmente, um público potencial de 6,2 milhões de pessoas que frequentam as disputas e interagem diretamente com as marcas que as viabilizam. 

Outros 45% dos fãs priorizam a TV por assinatura para acompanhar as transmissões da modalidade, uma adesão 25% superior à média do brasileiro. Isso reforça a importância do skate como plataforma de entretenimento e o alto engajamento de seu público. Os fãs de skate possuem hábito de consumo regular superior em todas as plataformas em comparação à população conectada. 81% deles sempre utilizam o smartphone enquanto 72% o fazem em suas Smart TVs.

Outro fator que reforça o alto engajamento desse público é a sua relação com as marcas patrocinadoras da modalidade. Entre os fãs de skate, 57% se declaram fiéis aos patrocinadores que apoiam o skate, ante 45% entre a população conectada.

Quando perguntados se escolheriam uma marca patrocinadora em detrimento de outra que não patrocina, 61% responderam que sim, enquanto apenas 48% do público geral entrevistado optou pela resposta. Eles também são maioria entre os fãs que buscam se manter informados sobre as marcas patrocinadoras, 65% ante os 50% dos demais entrevistados. 

O interesse pelas marcas que apoiam o skate também têm alta conversão em consumo. 67% dos fãs já compraram influenciados por marcas exibidas durante as transmissões, ante 52% do público geral. A pesquisa aponta ainda que 65% dos entrevistados compraram produtos esportivos oficiais nos últimos seis meses.

Entre os fãs de skate, este percentual chega a 79%, índice 22% maior. Entre o público geral, 15% adquiriram produtos oficiais de skate nos últimos seis meses. Entre fãs da modalidade este índice é de 27%. A pesquisa apontou ainda que o gasto médio dos fãs é superior ao da população em todos os cenários de consumo de artigos esportivos.

Compartilhe: