Futebol

O regulamento do novo Mundial de Clubes

Com mais representantes, o ranking continental terá um papel decisivo para a classificação de algumas equipes

O regulamento do novo Mundial de Clubes
Foto: Reprodução/ Twitter

18 de dezembro de 2023

2 minutos de Leitura

Tendo o Fluminense garantido na final da atual edição, o Mundial de Clubes terá uma profunda reformulação para os próximos anos. Com mais representantes, o ranking continental terá um papel decisivo para a classificação de algumas equipes.

De acordo com a FIFA, o desempenho dos times nos seus respectivos torneios continentais desde 2021 será um critério de classificação. Além disso, o Mundial de 2025 só contará com mais de dois clubes do mesmo país caso eles tenham sido campeões do principal torneio de sua Confederação.

A restrição limita que Brasil e Inglaterra tenham representantes classificados pelo ranking. Chelsea e Manchester City se garantiram com seus títulos da Champions League, e o futebol brasileiro já tem três representantes: Flamengo, Palmeiras e Fluminense. Sendo assim, outros times desses países só vão ao novo torneio se forem campeões continentais em 2024.

Liderando a lista na América do Sul, o Boca Juniors não vai disputar a Libertadores 2024. No entanto, o atual vice tem uma vantagem bem favorável para ficar com pelo menos uma das duas vagas oferecidas à Conmebol.

Só vão ao Mundial conquistando o título da Libertadores 2024: 

Atlético-MG, Botafogo, Grêmio, Bragantino, São Paulo, Puerto Cabello, Águilas Doradas, Cobresal, El Nacional, Palestino, Nacional-PAR, Defensor, Godoy Cruz, Huachipato, Millonarios, Portuguesa-VEN, Millonarios, Rosario Central, San Lorenzo, Sportivo Trinidense.

Com situação semelhante aos citados, o Inter Miami, de Messi, vai disputar a Champions League da Concacaf em 2024. Zerado no ranking, o clube só consegue vaga no Mundial se vencer o continental.

Compartilhe