Com novidades em 2024, WSL terá transmissões especiais para a audiência brasileira

Objetivo é aprimorar qualidade de transmissão para o público, aumentar engajamento com fãs e retorno para patrocinadores

janeiro 24, 2024

A WSL (World Surf League) anunciou mais uma novidade para a temporada do Championship Tour 2024. Pela primeira vez, a competição terá uma produção técnica exclusiva para fãs brasileiros.

A partir de agora, toda a operação será centralizada no Brasil, com cobertura nos principais canais da Liga, incluindo o site, o canal no YouTube e o aplicativo da organização.

A narração será conduzida por Edison Leite Júnior, o Edinho, surfista amplamente reconhecido e que também trabalhou na ESPN. Cris Dias, ex-apresentadora do Esporte Espetacular, programa esportivo da Rede Globo, também se juntará à equipe para interagir com o público e contribuir com comentários durante as transmissões.

Outro membro do elenco que está confirmado é Ian Cosenza, surfista profissional especializado nas grandes ondas de Nazaré, que também será um dos comentaristas.

Outra novidade será a presença de celebridades e personalidades do universo esportivo, e do entretenimento em geral, como convidados durante as transmissões da WSL. Mais detalhes sobre os convidados serão divulgados em breve.

A produção 100% brasileira fará o país ser a primeira região da WSL com autonomia para exercer a própria cobertura em áudio e vídeo. O investimento contará com a experiência dos mesmos fornecedores e equipe técnica que trabalham nas transmissões da NBA e da Libertadores da América para o Brasil. Inicialmente, as transmissões em português serão específicas para o Championship Tour, em que os principais surfistas do mundo competem. A primeira etapa, o Lexus Pipe Pro apresentado por Yeti, que ocorre no Havaí, está programada para começar em 29 de janeiro.

“Estamos entusiasmados em trazer este projeto para um país que, a cada ano, atrai mais espectadores e admiradores desse esporte. Acreditamos que os brasileiros querem acompanhar o surfe na linguagem que conhecem, com narração nacional, interações com o público e imagens familiares às suas experiências esportivas em outras modalidades”, destaca Ivan Martinho, presidente da WSL na América Latina.

O surfe tem ganhado cada vez mais destaque no cenário nacional. Com a produção de conteúdo em diversas plataformas e o desempenho dos surfistas brasileiros, os canais em português da WSL já ultrapassaram a marca de 1 milhão de seguidores nas principais redes sociais.

Essa expansão tem sido fundamental para a visibilidade global dos eventos da Liga realizados no Brasil. No Vivo Rio Pro de 2023, por exemplo, houve uma movimentação de mais de R$97 milhões para Saquarema e cerca de 118 milhões de impressões nas mídias digitais. Além disso, a transmissão por streaming acumulou mais de 1.8 milhão de horas assistidas.

“Trabalho com transmissões de surfe ao vivo há mais de duas décadas, e integrar agora o time oficial da WSL para as gravações em português é verdadeiramente o ápice da minha carreira como comentarista e narrador. Em um ano promissor como este, repleto de expectativas, participar desse projeto é gratificante e já estou ansioso para começar”, pontua o narrador Edinho Leite.

“É uma alegria imensa participar dessa transmissão inédita, genuinamente brasileira e com a nossa identidade. Considerando o potencial de conteúdo que podemos criar e nossa representatividade no esporte com o ‘Brazilian Storm’, acredito que haverá uma grande audiência para popularizar ainda mais nossos ídolos e esse esporte incrível que é o surfe”, disse a comentarista, Cris Dias

“Essa transmissão 100% brasileira credibiliza ainda mais o bom trabalho que a WSL América Latina tem feito. A tendência é que a novidade traga mais investimentos e visibilidade para o esporte no cenário nacional. Ao transmitirmos do Brasil para o Brasil, podemos usar uma linguagem atual, nos comunicando não só com o público do surfe, mas também com fãs de outros esportes”, finalizou Ian Cosenza.

Compartilhe: