Indústria

Fórmula 1 rejeita proposta de Michael Andretti para 2025 e abre as portas para 2028

Apesar de aval da FIA, Liberty Media considerou que entrada da escuderia não traria benefícios bilaterais no momento

Fórmula 1 rejeita proposta de Michael Andretti para 2025 e abre as portas para 2028

31 de janeiro de 2024

2 minutos de Leitura

A Fórmula 1 rejeitou a entrada da Andretti no grid para as temporadas 2025, 2026 e 2027. Desta maneira, a equipe de Michael Andretti só terá alguma chance de fazer parte da categoria a partir de 2028.

No final do ano passado, a Federação Internacional de Automobilismo (FIA) anunciou que após um pedido de manifestação de interesse de possíveis participantes, acreditou que a Andretti terá capacidades técnicas suficientes para justificar sua inclusão.

No entanto, como parte do Pacto de Concórdia, acordo que rege as relações entre as equipes da F1, a FOM e FIA, era necessário um aval comercial da Liberty Media, proprietária da F1, para que a entrada fosse adiante.

Para a empresa, uma nova equipe seria incluída caso oferecesse relevância ao grid e comprovasse competitividade.

“Nosso processo de avaliação estabeleceu que a presença de uma 11ª equipe não proveria, por conta própria, valor ao campeonato. A forma mais significativa em que um novo integrante poderia trazer valor é sendo competitivo, em particular disputando pódios e vitórias em corridas. Isso consideravelmente aumentaria o engajamento de torcedores, assim como o valor do campeonato aos olhos de acionistas e fontes de receita, como emissoras e promotores de corrida. (…) Não acreditamos que a candidata seria uma participante competitiva”, destacou a F1, em comunicado.

“Enquanto o nome Andretti carrega algum reconhecimento de fãs da F1, nossa pesquisa indica que a F1 traria valor à marca Andretti, em vez do contrário. A adição de uma 11ª equipe colocaria um fardo operacional em promotores de corrida, sujeitaria alguns deles a custos significativos, e reduziria os espaços técnicos, operacionais e comerciais de outros competidores”, acrescentou.

Compartilhe