Um dos maiores goleiros da história, Buffon sugere o aumento do tamanho das traves

Ainda desempenhando função relevante no esporte, o lendário ex-goleiro é o Chefe de Delegação da Seleção Italiana

janeiro 2, 2024

Aposentado desde agosto de 2023, Gianluigi Buffon segue respirando futebol. Ainda desempenhando função relevante no esporte, o lendário ex-goleiro é o atual Chefe de Delegação da Seleção Italiana.

Com a licença recém adquirida de diretor executivo, o campeão do mundo de 2006 apresentou sua tese intitulada “Futebol, sociedade, experiências pessoais, uma mistura ideal para o meu paradigma de diretor desportivo na era da inteligência artificial”. Nela, Buffon sugere o aumento do tamanho das traves para deixar o esporte mais atrativo.

Em entrevista para o Tuttosport, Gigio argumenta que o tamanho atual não acompanhou o crescimento da estatura dos goleiros. E o ex-jogador utilizou ele próprio como instrumento de explicação.

“Estava conversando sobre isso com meus parentes e minha esposa outro dia. Quando comecei, em 1998, estava entre os cinco jogadores mais altos da Série A. No ano passado quando estava com o Parma na Série B, sempre estive entre os cinco mais altos, mas dos vinte e dois em campo! Quer dizer, as medições foram feitas em 1875”, disse Buffon.

“Para os valores da época, provavelmente as traves eram muito grandes. Então houve um intervalo de tempo de, digamos, 50, 60 anos em que eles estavam certos. Agora, vendo certos atletas, pode-se pensar… Por outro lado, até no vôlei se discute a altura da rede. Tendo duas irmãs jogadoras de vôlei eu conheço o problema. O saque está se tornando quase tão crucial quanto no tênis”, completou.

Buffon ainda fez uma reflexão sobre o futebol atual, sem deixar lado a sugestão de uma possível mudança na baliza.

“Bom, de qualquer forma, eu não decido, há órgãos responsáveis ​​que certamente estarão a fazer perguntas e também a estudar as análises. É preciso dizer também que os goleiros são maiores, é verdade, mas os jogadores de campo são mais rápidos, mais imprevisíveis e mais fortes nos chutes. Os gestos técnicos sempre melhoram. Mas você pode ver o efeito do tamanho do goleiro nos chutes de longa distância: há 30 anos, para cada 50 chutes, você marcava dez gols. Hoje, se você fizer três, é muito. E de longe, é muito mais difícil marcar contra um goleiro de dois metros”, ressaltou.

Além da tese, durante a entrevista, Buffon também comentou como tem sido sua aposentadoria.

“Estou muito feliz, pois tenho lido muitas coisas, fico com a cabeça ocupada tentando deixar novas ideias de lado e acima de tudo aprimorar minhas habilidades. E então, vamos lá, não é como se eu tivesse parado de repente aos 29. Foi uma escolha que já existia há quatro ou cinco anos: bastava escolher o momento mais adequado. Agora estou muito bem, tenho uma vida satisfatória, não só no trabalho, mas também em casa”, finalizou.

Compartilhe: